Primeiro voo regular Bragança-Portimão aterrou sem problemas mas com uma hora de atraso (com fotos)

Eram 11h03 quando o Dornier da Aero Vip aterrou na pista do Aeródromo Municipal de Portimão, completando assim, com quase […]

Avião Bragança Portimão_16 (Custom)Eram 11h03 quando o Dornier da Aero Vip aterrou na pista do Aeródromo Municipal de Portimão, completando assim, com quase uma hora de atraso, a primeira ligação aérea entre Bragança e a cidade do Barlavento Algarvio, com paragens em Vila Real, Viseu e Tires (Cascais).

A bordo, além de alguns elementos ligados à empresa aérea portuguesa, desde logo o piloto Pedro Leal, que é também o presidente da Aero Vip, vinham apenas três passageiros, uma senhora com os seus dois filhos pequenos.

Demonstrando a novidade da ligação aérea, o funcionário da Aero Vip só à terceira tentativa conseguiu virar o puxador da porta do avião bimotor para o sítio certo, para abrir a porta e fazer descer a escada, permitindo a saída dos passageiros.

Com um atraso de 58 minutos em relação ao horário previsto (o avião devia ter chegado à pista de Portimão às 10h05), a paragem em terras algarvias foi de pouco mais de 15 minutos, tanto mais que, na volta, pelo menos até ao Aeródromo de Tires, não embarcava nenhum passageiro.

Foi tudo tão a correr, que a comitiva que aguardava o avião e os seus passageiros junto à pista – composta pela presidente da Câmara de Portimão, pelo vice-presidente e por três vereadores, por empresários do concelho, na sua maioria ligados ao turismo e hotelaria, no âmbito da Associação Turismo de Portimão, por membros das forças de segurança, pelo comandante dos Bombeiros de Portimão, entre outros – mal teve tempo de cumprimentar o comandante da aeronave e as outras pessoas que o acompanhavam.

Avião Bragança Portimão_04 (Custom)Em declarações breves ao Sul Informação, o comandante Pedro Leal explicou o atraso de quase uma hora nesta primeira ligação, atribuindo-o a «pormenores e políticas que ainda falta acertar e afinar», considerando a situação «normal», porque é «a primeira vez».

Aproveitando o atraso, um outro avião, o que transporta os paraquedistas de várias nacionalidades que estão em Portimão para o Boogie Anual de Natal promovido pela Skydive Algarve, não parava de levantar voo para largar os paraquedistas lá no alto e depois aterrar, para carregar nova leva de desportistas. Só enquanto decorreu a aterragem, paragem e descolagem do Dornier da Aero Vip é que as operações do Boogie ficaram em suspenso.

Para receber esta rota aérea doméstica, que passa a ligar Portugal de Norte a Sul em avião, a Câmara de Portimão promoveu uma série de melhoramentos no edifício de apoio do Aeródromo, nomeadamente criando uma pequena zona de check-in. Segundo Isilda Gomes, presidente da Câmara de Portimão, o investimento da autarquia, que atingiu perto de 100 mil euros, teve em conta o interesse que a nova ligação aérea regular poderá ter para o turismo.

Mas o investimento não se ficou só por aí. É que o Município também protocolou com os Bombeiros Voluntários de Portimão as condições financeiras e logísticas para garantir todos os requisitos de segurança desta nova valência do Aeródromo Municipal.

Richard Marques, comandante dos Bombeiros de Portimão, revelou ao Sul Informação que, desde o ano passado, foi feito um investimento de «100 mil euros em safety [segurança], em equipamento, pessoal e respetivo treino». «Trinta minutos antes e até trinta minutos depois da chegada do avião ao Aeródromo é garantido um dispositivo de serviço básico de salvamento e luta contra incêndios», explicou Richard Marques.

Ao todo, há sempre cinco operacionais em permanência no Aeródromo nesse período de tempo, de um total de 28 operacionais que receberam treino específico para este serviço especializado.

Avião Bragança Portimão_22 (Custom)A frota utilizada nesta operação é composta por aeronaves Dornier 221, com capacidade para 18 passageiros. Estas aeronaves têm capacidades STOL (short take-off and landing) adequadas ao tipo de operação regional, nomeadamente para operar em aeródromos com pistas de dimensão mais reduzida.

As grandes novidades introduzidas nesta linha são os seus dois novos destinos – Viseu e Portimão – que, segundo a Aero Vip, «permitem assegurar um melhor e mais completo serviço aos utentes do Norte Interior, como ligar, pela primeira vez, o Barlavento Algarvio ao resto do país, por via aérea».

Para Carlos Amaro, administrador da Aero Vip, a grande inovação desta linha é a introdução do Aeroporto de Cascais (em substituição do Aeroporto de Lisboa): «a Aerovip acredita que este Aeroporto tem condições muito mais adequadas ao tipo de linha Regional que opera, com benefícios evidentes para o passageiro na facilidade e rapidez no embarque e desembarque, bem como nos movimentos de aterragem, táxi, estacionamento junto à aerogare e descolagem».

Por outro lado, acrescenta o administrador, «em conjugação de esforços com o próprio Aeroporto de Cascais, serão efetuados transferes dos passageiros entre a aerogare e o centro de Lisboa, permitindo poupanças consideráveis de tempo desde a porta do avião ao destino final de cada passageiro». Ou seja, mal chegam ao Aeródromo de Tires, os passageiros têm à sua disposição uma ligação para o centro de Lisboa, no caso, a praça Marquês de Pombal.

Nesta operação existem cinco tipos de tarifas, Premium, Basic, Pex, Promo e Discount com diferentes condições e restrições, que têm valores para um voo de ida e volta Bragança-Portimão a partir de 86,67 euros ou para um voo Cascais-Portimão a partir de 73,45 euros.

O voo WV951 parte de Bragança às 7h30, com destino a Portimão (onde chega às 10h05), com escala em Vila Real, Viseu e Cascais.

Em sentido contrário, o voo WV954 parte de Portimão, às 10h15, com destino a Bragança (17h20), com escala em Cascais, Viseu e Vila Real.

Isto significa que, no trajeto entre Bragança e Portimão, o voo tem, em teoria, a duração de pouco mais de duas horas e meia, mas, no sentido inverso, entre o Barlavento Algarvio e Trás os Montes, leva mais de cinco horas, devido a uma prolongada paragem no Aeródromo de Tires (Cascais).

Avião Bragança Portimão_14 (Custom)Esta concessão que agora se inicia, e que foi atribuída pelo Estado português à Aero Vip, tem o prazo de 3 anos a contar do primeiro voo efetuado, ou seja, de hoje. Ao longo desses 36 meses, o Estado paga à empresa um montante máximo de 7,8 milhões de euros para manter a ligação aérea regular que, sem essa subvenção estatal, e como se pôde constatar hoje, teria muita dificuldade em voar por si própria.

Em 2015, o Estado pagará um máximo de 650 mil euros à transportadora aérea, enquanto em 2016 o montante poderá ir até 2,6 milhões de euros (valor sem IVA), o mesmo valor indicado para 2017. Para 2018, o montante máximo consignado no diploma é de 1,95 milhões de euros. As quatro parcelas perfazem os 7,8 milhões de euros de despesa máxima prevista.

 

Tarifas
(para saber mais sobre as tarifas clique aqui)

Portimão >>> Bragança
Ida – de 86,67 euros a 109,60
Ida e Volta – de 95,27 euros a 173,54 euros

Portimão >>> Vila Real
Ida – de 81,75 euros a 102,32
Ida e Volta – de 87,92 euros a 161,88 euros

Portimão >>> Viseu
Ida – de 77,97 euros a 98,34
Ida e Volta – de 83,92 euros a 155,52 euros

Portimão >>> Cascais
Ida – de 55,94 euros a 77,15
Ida e Volta – de 73,46 euros a 131,34 euros

 

 

 

Comentários

pub
pub