SOS Oncológico lança eventos solidários para celebrar 1º aniversário

O SOS Oncológico, Unidade e Equipa Comunitária de Cuidados Paliativos do Algarve – Associação, vai assinalar o seu primeiro aniversário […]

SOS OncológicoO SOS Oncológico, Unidade e Equipa Comunitária de Cuidados Paliativos do Algarve – Associação, vai assinalar o seu primeiro aniversário com diversas iniciativas.

Eventos que também terão uma vertente solidária já que servirão, não só, para festejar o ano de existência, mas também para angariar fundos para a associação.

No dia 27 de fevereiro, realiza-se o 1º Jantar Solidário SOS Oncológico, que terá lugar no restaurante «O Chico Maria», na Aldeia do Carrasco, em Portimão, às 20 horas e contará com animação da banda Fad’Nú, que junta José Alegre na guitarra portuguesa e Cátia Alhandra na voz, bem como com um momento de poesia por Paulo Pires e Sónia Pereira. O jantar custa 20 euros, 25 por cento dos quais revertem a favor da associação Reservas:282 475 748 / 966 755 560/ ochicomaria@gmail.com).

As celebrações continuam no dia 7 de março, com a inauguração da exposição de fotografia «Rostos SOS», na Biblioteca Municipal de Lagoa. A mostra resulta de um desafio lançado pelo SOS Oncológico nas redes sociais, em outubro passado, ao qual aderiram 33 fotógrafos amadores e profissionais, «que responderam e gentilmente cederam as suas fotografias à associação».

A exposição, que contou com o apoio à divulgação do Sul Informação, da Gazeta de Lagoa e do Olhares.com, além da FNAC, que financiou a impressão de todas as fotos, estará patente até dia 24 de Abril.

As celebrações encerram, no mesmo dia, 7 de março, com um recital de Guitarra Portuguesa, por João Cuña, na Capela do Convento de São José, em Lagoa, agendado para as 21h30. À entrada, será pedido um donativo aos que quiserem assistir ao espetáculo, a favor do SOS Oncológico.

O SOS Oncológico é uma Associação sem fins lucrativos, de âmbito regional (Algarve), com sede em Lagoa, que visa apoiar, especialmente, os doentes oncológicos e respectivas famílias, em termos de informação (sobre a evolução da doença, direitos dos doentes, benefícios fiscais, etc.), ajudas técnicas e, futuramente, cuidados de saúde (no domicílio ou em unidade de interna- mento), podendo alargar, também, o apoio a pessoas portadoras de outras doenças crónicas incapacitantes com necessidade de Cuidados Paliativos.

Comentários

pub