Exposição de fotografia «A Volúpia e o Suplício da Esteva» patente na Casa do Sal de Castro Marim

A exposição de fotografia «A Volúpia e o Suplício da Esteva», de Carlos Luz, vai estar patente até ao final […]

Casa do Sal Castro MarimA exposição de fotografia «A Volúpia e o Suplício da Esteva», de Carlos Luz, vai estar patente até ao final do mês de setembro na Casa do Sal, em Castro Marim.

Uma mostra que foca a esteva, uma planta endémica do Algarve «associada à desertificação e a terrenos pouco férteis», que, nas fotografias do artista plástico, simboliza «a sensualidade, o mistério e o sofrimento, inerentes à condição humana e tão presentes quanto encobertos na natureza».

Além do espaço onde está patente a exposição, a Casa do Sal proporciona um espaço de merchandising, associado ao sal de Castro Marim, e um espaço multimédia, onde são exibidos vídeos relativos à produção do sal marinho tradicional, produzido na margem portuguesa da foz do rio Guadiana. Pode ser visitada de terça-feira a sábado, das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas.

«A Casa do Sal foi construída no âmbito de uma estratégia de valorização do sal marinho tradicional e a ideia é que, associadas à história do sal de Castro Marim, se desenvolvam atividades ligadas às artes, à cultura, à educação e ao desporto», recordou a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Castro Marim, Filomena Sintra.

Durante este Verão, o espaço cultural e de divulgação tem recebido diferentes ateliers didáticos, no âmbito do programa «Férias Ativas», desenvolvido pela autarquia castromarinense. Ao mesmo tempo, acolhe pequenos visitantes de outros municípios, como aconteceu ontem, quarta-feira, com um grupo de crianças do programa «Férias em Movimento», de Vila Real de Santo António.

«Sensibilizar e estimular o interesse pelo sal, como produto diferenciador da região, é um dos principais objetivos destas atividades com as crianças», acrescentou Filomena Sintra.

Comentários

pub
pub