Passivo da Associação Académica atingiu os 876 mil euros em 2011

O passivo total da Associação Académica da Universidade do Algarve (AAUAlg) atingiu os 876 mil euros no final do exercício […]

O passivo total da Associação Académica da Universidade do Algarve (AAUAlg) atingiu os 876 mil euros no final do exercício de 2011, segundo os resultados de uma auditoria feita às contas desta estrutura divulgados hoje, sexta-feira, pelo presidente da associação Pedro Barros, numa Conferência de Imprensa.

O chamado Passivo Circulante da AAUAlg, que engloba todas as dívidas de curto, médio e longo prazo, segundo revelou a análise, aumentou substancialmente nos anos de 2010 e 2011, mas já se encontrava nos 463 mil euros em 2009.

O aumento foi mais notório em 2011, ano em que a Semana Académica da Universidade do Algarve terá dado um prejuízo de «176 mil euros», revelou hoje Pedro Barros.

Contactado pelo Sul Informação, o presidente da AAUAlg no ano de 2011 Guilherme Portada disse não querer para já assumir uma posição pública sobre os resultados da auditoria, uma vez que ainda não tem a documentação em seu poder.

«Não pude estar presente na Assembleia Magna de ontem, pois já tinha assumido outros compromissos, mas informei a assembleia do facto e solicitei que me fosse facultada a documentação, algo que até agora ainda não aconteceu», disse.

Apesar de os números da dívida serem elevados, Pedro Barros garantiu que a situação já está a ser invertida. As dívidas de curto prazo, por exemplo, já foram diminuídas em mais centenas de milhar de euros, com a ajuda de um empréstimo de 350 mil euros contraído pela AAUAlg, processo que começou no anterior mandato, quando o presidente da associação ainda era Guilherme Portada.

O Passivo Circulante «rondará os 700 mil euros» atualmente, depois de um ano em que foram feitos cortes generalizados e renegociação de dividas e contratos. Também houve uma redução de pessoal, que levou à saída «de sete pessoas, algumas por iniciativa própria» e a reafectação de pessoal para serviços diferentes.

Nas contas apresentadas, nota-se uma diferença substancial no segundo mandato de Guilherme Portada no que toca a resultados operacionais. Entre 2008 e 2010 os números foram próximos, embora em 2010 já tenha havido um resultado negativo, inferior a 20 mil euros (em 2008 andou próximo dos 3 mil euros de lucro e em 2009 dos 19 mil euros positivos).

Mas em 2011 os números aumentam exponencialmente para os 274 mil euros de prejuízo, nos resultados operacionais anuais. Os números da Semana Académica desse ano terão contribuído decisivamente para isso.

Uma situação que deverá servir de aviso para as direções futuras, salientou Pedro Barros e que já teve presente na elaboração deste evento em 2012. O resultado da festa este ano foi um lucro de 76 mil euros, adiantou.

Em 2011, na revisão estatutária que a AAUAlg levou a cabo e que permitiu a Guilherme Portada lançar o processo de contração de um empréstimo, foi criado um órgão consultivo, o Conselho Académico, incumbido de dar pareceres sobre as finanças da AAUAlg e também de analisar os orçamentos dos eventos por ela promovidos.

As decisões dessa estrutura, que para além dos presidentes dos diferentes órgãos da associação também tem três personalidades externas como membros, entre os quais o administrador da Universidade do Algarve, não são vinculativas, mas para Pedro Barros será «uma questão de bom senso» que direções futuras as «levem a sério».

 

Recuperação prevista para 2015

As contas da AAUAlg estão complicadas de gerir, mas Pedro Barros garantiu que já se inverteu a tendência e que o caminho da recuperação está a ser trilhado. A atual Direção Geral traçou um Plano de Recuperação que, se não tiver desvios no futuro, prevê que a recuperação financeira da AAUAlg se consiga dentro de três anos, ou seja, em 2015.

Este é também o ano em que será amortizado na totalidade o empréstimo de 350 mil euros contraído para pagar dividas de curto prazo.

Em 2012, embora os resultados operacionais só possam ser definitivamente apurados no final, a Direção Geral já conseguiu inverter a tendência em quase todos os quadrantes, nomeadamente no que toca ao desempenho dos serviços, garantiu Pedro Barros.

Para isso, além das mexidas no quadro de pessoal, que conta atualmente com «40 funcionários», contribuiu a renegociação de contratos de serviços, nomeadamente em comunicações, que permitiu baixar a estrutura de custos em 20 mil euros anuais. «Para o ano contamos que esses custos baixem mais 30 mil euros», revelou Pedro Barros.

Os bares e restaurantes geridos pela associação também já deverão gerar lucro este ano, depois de terem sido renegociados contratos com fornecedores e fechados alguns espaços. Já nos centros de Cópias, que sempre deram lucro, este deverá aumentar, principalmente em 2013.

 

Guilherme Portada convocado para se pronunciar em Assembleia Magna

O resultado da auditoria encomendada à empresa DFK foi apresentado em primeiro lugar aos estudantes da Universidade do Algarve, numa Assembleia Magna que teve lugar, ontem, quinta-feira e juntou 170 alunos.

Desta reunião saíram duas deliberações, no seguimento de duas propostas apresentadas pelos dois primeiros presidentes da AAUAlg Augusto Costa e Pedro Meireles, uam das quais determinava que Guilherme Portada, o único dos presidentes das direções nos anos sobre os quais a auditoria incidiu que não esteve presente na reunião de ontem, deverá pronunciar-se sobre o relatório em Assembleia Magna a agendar nos próximos 45 dias.

Também foi decidida a criação e uma Comissão Disciplinar para analisar os resultados da auditoria. Grupo que será constituído pelo presidente da Assembleia Magna João Pedro Ferreira, por representantes da Direção Geral e Conselho Fiscal, a designar, e por dois alunos eleitos na ocasião, um de cada sub-sistema da UAlg. Fábio Andrade vai representar os alunos do sistema universitário e Marcos Bicho representará os alunos do Politécnico.

Esta comissão tem 60 dias para se pronunciar.

Comentários

pub
pub