Quase mil alunos inauguram duas escolas no arranque do ano letivo em Loulé

O concelho de Loulé abriu o ano letivo de 2011/12 com duas novas escolas com as valências de pré-escolar e […]

O concelho de Loulé abriu o ano letivo de 2011/12 com duas novas escolas com as valências de pré-escolar e primeiro ciclo e que irão albergar perto de mil alunos.

 

O executivo municipal marcou presença em Vale de Rãs (Loulé) e em Almancil para inaugurar estes equipamentos que se enquadram na aposta de reforço do parque escolar, num investimento de cerca de 7,5 milhões de euros.

 

No dia 15 de setembro, as atenções centraram-se na nova EB1/JI de Vale de Rãs, uma escola com capacidade para 450 alunos. O edifício com características arquitetónicas modernas é composto por duas áreas, uma para o pré-escolar, com quatro salas destinadas a crianças dos três aos cinco anos, e outra para o ensino básico, com catorze salas de aula.

 

Esta escola é composta ainda por um pavilhão onde será possível a prática de mini-basket de competição, um polivalente destinado a sala de convívio, um espaço para biblioteca/informática, uma sala de ensino especial, espaços verdes de recreio e lazer, entre outras componentes.

 

A Escola EB1/JI de Vale de Rãs teve um custo de perto de 3,5 milhões de euros.

 

No dia 16, com a presença do secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar João Casanova, foi a vez de ser inaugurada a Escola EB1/JI de Almancil, uma intervenção que passou pela ampliação do pré-escolar, com o aumento da capacidade do edifício em quatro salas de aulas e áreas de apoio, passando para um total de oito salas, e a criação de uma escola do primeiro ciclo, com capacidade para doze salas de aulas e uma sala de ensino especial.

 

Neste nova escola, que tem capacidade para albergar 525 alunos, existe ainda uma sala polivalente, refeitório apoiado por bufete e cozinha, ginásio, polidesportivo, recreio coberto, biblioteca, sala de apoio para tratamento de livros, sala de informática, sala de professores, entre outros espaços.

 

O edifício está ainda dotado de painéis solares, de forma a proceder ao aproveitamento energético do edifício.

 

O investimento ascendeu a 4 milhões de euros.

 

Segundo o presidente da Câmara Seruca Emídio, desde a construção das primeiras salas de pré-escolar, que curiosamente foram edificadas na vila de Almancil, com o início do chamado programa PER EB1, até ao presente, o atual executivo da Câmara de Loulé já investiu perto de 30 milhões de euros.

 

“As nossas intervenções têm vindo a ocorrer por toda a área geográfica do Município. Interviemos nas freguesias de Alte, Benafim, Salir, Tor, Almancil, S. Sebastião, S. Clemente e Quarteira”, disse o presidente da Autarquia.

 

A Carta Educativa foi o documento que permitiu planear a construção de novas escolas e a reconversão e adaptação do parque escolar, “otimizando a funcionalidade da rede existente e respeciva expansão até 2013, evitando ruturas e inadequações da rede educativa à dinâmica social e ao desenvolvimento urbanístico, tão forte ele se manifesta especialmente nas zonas litorais, de que Almancil e Quarteira são bons exemplos”, adiantou o edil.

 

Numa altura em que ainda está em construção a Escola EB1/JI da Fonte Santa, na freguesia de Quarteira, quando esta findar o autarca acredita que se fechará um ciclo de novas construções.

No entanto, no âmbito de uma candidatura ao programa PRODER, encontra-se em fase de projeto uma intervenção nas Escolas Básicas Integradas de Boliqueime (construção de uma sala de ensino básico e duas salas de jardim de infância, com um custo estimado em 550 mil euros) e de Salir (construção de três salas de aula e parque infantil, com um custo estimado em 540 mil euros).

 

Quanto à requalificação da Escola EB 2,3 D. Dinis, em Quarteira, Seruca Emídio adiantou que está neste momento a ser apreciada pelo Ministério, já que faz parte do processo de transferências de competências para a autarquia.

 

Numa altura em que o ensino pré-escolar apresenta já uma taxa de cobertura muito perto dos 85% no concelho de Loulé, o responsável municipal falou da importância deste nível de ensino.

 

“Temos vindo a aumentá-la mas queremos, naturalmente, atingir a meta dos 100%. Considero mesmo que a educação pré-escolar é essencial no desenvolvimento da capacidade de pensar e na aprendizagem da cidadania, designadamente através das vivências das regras de vida, da partilha de espaços, do conhecimento e para a aceitação das diferenças”, sublinhou.

 

O autarca falou ainda das várias áreas de intervenção da Câmara Municipal em termos de educação como os transportes escolares, apoio socioeducativo e à alimentação, atividades de enriquecimento curricular às Bibliotecas Escolares e à integração no Plano Nacional de Leitura, e a preocupação que todas as escolas possam funcionar em regime horário normal.

 

Acabada a inauguração do edifício começa a construção da escola”, disse o secretário de Estado, que falou da “partilha das responsabilidades” na comunidade escolar. “Para melhorar a escola portuguesa todos temos responsabilidades. Os momentos de crise servem parta nós vermos que, aliados aos direitos, estão as responsabilidades e que todos temos o dever de contribuir para a solução dos problemas do país, e para o reerguer o mais depressa possível.”, disse João Casanova.

 

Este responsável governamental salientou ainda a parceria com as autarquias na reorganização da rede de oferta das escolas. “Este exemplo que aqui temos é um exemplo que permite uma melhor socialização dos alunos, o contacto com as novas tecnologias e que permite ter outros recursos para a melhoria das suas aprendizagens. Também os professores ficam em melhores condições de trabalhar porque não ficam isolados”, adiantou.

Comentários

pub
pub