Opinião

O futuro é já amanhã

Decidi pegar no conhecido almanaque Borda d’Água, um “repertório útil a toda a gente”, com os seus respeitosos 91 anos de idade e fazer futurologia