Hoje é Dia de Levar o Cão para o Trabalho

Conhecer o comportamento e as necessidades do cão é fundamental para garantir o seu bem-estar e a socialização

Hoje, dia 21 de Junho, é o Dia de Levar o Cão para o Trabalho. Mas, antes de alinhar nesta data, os cuidadores devem não só assegurar que o espaço de trabalho permite a presença destes animais como considerar algumas regras para garantir o bem-estar de todos, colegas e amigos de quatro patas.

O médico veterinário João Reis, especialista em etologia animal, do AniCura Alma Veterinária Hospital Veterinário, explica que “embora as necessidades de cada animal determinem o ambiente mais adequado para cada um, espaços calmos, que promovam todos os recursos necessários e com facilidade de acesso à rua devem ser primordiais”.

Antes de decidir levar o cão para o trabalho, o cuidador deve saber se o seu cão apresenta um temperamento sociável com pessoas e outros cães e está habituado a frequentar estes espaços.

Nem todos os locais de trabalho são ideais para levar e manter o cão ao longo da jornada diária. Os melhores ambientes são espaços calmos, amplos, que permitam a cada cão ter o seu próprio espaço com comedouro, bebedouro e um espaço de descanso próprio.

“Devem dispor de um acesso fácil à rua para realizar os passeios necessários ou de um espaço exterior onde os cães consigam correr e brincar à vontade, fazer as necessidades e interagirem livremente uns com os outros”, explica.

“Neste dia, devem realizar um passeio prolongado no período prévio à permanência no local de trabalho”, aconselha o veterinário. Os tutores podem ainda levar dispositivos interativos, nomeadamente, os que podem ser recheados com alimento ou de roer para manter os cães entretidos durante os períodos de maior aborrecimento.

O especialista em etologia animal partilha algumas das principais necessidades dos cães às quais os cuidadores devem estar atentos para garantir o seu bem-estar diário.

Os cães devem manter as rotinas sempre que possível, incluindo um mínimo de três passeios diários, idealmente à mesma hora, por forma a que as suas necessidades físicas e mentais estejam sempre preenchidas.

Contudo, cães com necessidades energéticas maiores devem realizar passeios com maior frequência ou mais duradouros.

Quando os cuidadores têm dificuldade em acompanhar estas necessidades, podem recorrer às creches caninas em alguns dias da semana, de modo a possibilitar ao seu animal de companhia uma maior libertação de energia e socialização com outros cães.

“Todas as raças de cães podem ser treinadas num determinado sentido, desde que, quando cachorros, realizem um bom processo de socialização. Durante a fase de crescimento devem manter esse acompanhamento com uma boa escola ou treinador e iniciar em idade precoce o treino de todos os comportamentos pretendidos no futuro, como podem ser frequentar o ambiente de trabalho dos cuidadores e/ ou a interação com pessoas e cães fora do seu ambiente habitual”, explica o médico veterinário.

“Qualquer cão que realize um bom processo de socialização numa idade precoce, tem todo o potencial de ser social e tranquilo com outros estímulos, sejam outros cães, pessoas ou sons”, assegura o Dr. João Reis.

No entanto, acrescenta: “há raças que devido à sua personalidade ou maiores necessidades energéticas, podem ser mais desafiadoras no processo de socialização”. É necessário conhecer o cão, avaliar o seu temperamento e as suas rotinas, assim como capacidade de o tutor se envolver neste processo, para se estabelecer o programa de treino e socialização mais adequados a cada animal.

 

 



Comentários

pub