Enfermeiros denunciam fecho da Pediatria e Maternidade de Portimão sem portal do SNS o referir

Não tem havido qualquer informação para o CODU e SNS 24 no sentido de as grávidas serem encaminhadas para o hospital de Faro

O hospital de Portimão tem «serviços encerrados há quase uma semana, sem que o portal da transparência o refira», denunciou esta segunda-feira a direção regional de Faro do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

Segundo o SEP, no internamento de Pediatria, «as crianças foram transferidas para o hospital de Faro entre os dias 19 e 20 de junho», a Sala de Partos está «encerrada desde as 21 horas de 18 de junho», enquanto a Urgência Pediátrica de Portimão está aberta, mas sem pediatras.

Ora, denunciam os enfermeiros, «ao consultar o Portal da transparência do SNS – escalas de urgências do SNS, constatamos que a urgência pediátrica e o bloco de partos do hospital de Portimão estão abertos. Mas a realidade é a descrita acima».

Além disso, «ao invés do referido pela ministra da Saúde, não tem havido qualquer informação para o CODU e SNS 24 no sentido de as grávidas serem encaminhadas para o hospital de Faro, continuando estas a ser encaminhadas e/ou a recorrer ao hospital de Portimão».

O Sindicato acrescenta que «nem sempre as escalas médicas são do conhecimento dos enfermeiros de alguns daqueles serviços», enquanto, «na maioria das vezes, a informação do encerramento de serviços é feita “em cima da hora”, obrigando a uma reorganização dos enfermeiros no sentido de transferirem as crianças, grávidas e puérperas internadas para o hospital de Faro».

O Sindicato considera, por tudo isso, que «o silêncio da administração da Unidade Local de Saúde e dos autarcas algarvios», face «à situação de ausência, por períodos prolongados, de pediatras que determina o encerramento destes serviços, é ensurdecedor». Por isso mesmo interrogam «a quem interessa» esta situação?

A concluir o seu comunicado, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses salienta que, «aos pedidos de reunião dirigidos à administração da ULS para discutir o Regulamento da ULS, o suposto Plano de criação do Sistema Local de Saúde do Algarve, acrescentamos mais um». Vão ainda pedir reuniões à AMAL, a todos os presidentes de Câmaras do Barlavento Algarvio e, finalmente, à enfermeira diretora da ULS.

O Sul Informação contactou ontem a Unidade Local de Saúde do Algarve pedindo esclarecimentos sobre esta denúncia feita pelos enfermeiros, mas até agora não foi recebida qualquer resposta.

 

 



Comentários

pub