ARS Algarve é a primeira a usar PRR para alargar rede de cuidados continuados

O investimento total é de 1.400.000 euros

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve é a primeira do país a celebrar contratos de financiamento no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para alargamento da resposta na rede de cuidados continuados integrados na região. 

Os três primeiros contratos foram celebrados esta quarta-feira, 19 de Junho, com as entidades Amigos dos Pequeninos, de Silves, e Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão (ACASO), os quais visam reforçar a resposta da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) na região do Algarve.

O contratos dizem respeito a uma unidade de Dia e Promoção da Autonomia da ACASO – Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão (25 lugares), uma Residência de Apoio Máximo Infância e Adolescência da instituição Amigos dos Pequeninos, IPSS, em Silves, (12 lugares) e uma Residência de Apoio Máximo Adultos da instituição Amigos dos Pequeninos, IPSS, em Silves (24 lugares).

O investimento total é de 1.400.000 euros.

Com a implementação destes projetos, o Algarve será a primeira região do país a dispor da primeira Unidade de Dia e Promoção da Autonomia da RNCCI, tipologia prevista desde 2006 no âmbito da Rede mas que só agora será concretizada.

 

 

«Esta tipologia de unidade visa a prestação de cuidados integrados de suporte, de promoção de autonomia e apoio social, em regime ambulatório, a pessoas com diferentes níveis de dependência que não reúnam condições para serem cuidadas no domicílio», refere a ARS.

No âmbito da Saúde Mental, estes projetos irão permitir criar as duas primeiras Unidades de internamento nesta área, integradas na RNCCI do Algarve.

As cerimónias da assinatura de protocolos decorreram na sede da ARS Algarve na presença do Presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Paulo Morgado, da Coordenadora da Equipa de Coordenação Regional dos Cuidados Continuados Integrados do Algarve, Fernanda Faleiro, e dos representantes de cada uma das entidades financiadas.

«Reforçar a resiliência do sistema de saúde, melhorar a prestação de cuidados de saúde oferecida à população local e assegurar a igualdade de acesso a serviços de qualidade na área da saúde e dos cuidados continuados integrados são os objetivos basilares destes projetos que representam um importante contributo para o alargamento da RNCCI no Algarve», frisa ainda esta entidade.

 



Comentários

pub