Presidente João Rodrigues encabeça lista única às eleições no Farense

Cristóvão Norte e José Alberto Pereira são recandidatos a presidentes da Assembleia Geral e do Conselho de Fiscalização, respetivamente

O empresário João Rodrigues, que preside ao Farense desde 2018, encabeça a lista única candidata aos órgãos sociais do clube da I Liga de futebol nas eleições antecipadas previstas para sexta-feira.

Um ano depois de ter sido eleito para um mandato de quatro anos, o líder do clube algarvio decidiu apresentar a demissão, decisão acompanhada pelos restantes dirigentes, mas será recandidato ao cargo.

João Rodrigues explicou à agência Lusa que este momento serve «para lançar um alerta aos adeptos» de que o Farense continua «numa situação muito difícil» e «motivar a sua reflexão» sobre «questões muito importantes» para o futuro do emblema.

O dirigente lembrou que, este ano, o pavilhão e edifício sede do Farense foram penhorados, devido a uma dívida antiga à Halcon Viagens, e estiveram à venda em hasta pública, que foi suspensa após o Farense ter submetido um pedido de Processo Especial para Acordo de Pagamento (PEAP), num valor total aproximado de sete milhões de euros.

«Queremos chegar a acordo com os credores todos, uma grande parte deles com dívidas que remontam a 20 ou 30 anos. Temos vindo a reduzir a nossa dívida nos últimos anos, temos pagado os valores relativos aos Processos Especiais de Revitalização sem uma única falha, mas esta é uma situação importante, que deve preocupar os nossos já mais de 7.500 sócios», destacou João Rodrigues.

O presidente do Farense salientou ainda que o pavilhão do emblema é «uma infraestrutura com dificuldades operacionais», que já tem 40 anos e necessita de intervenções urgentes.

Cristóvão Norte e José Alberto Pereira são recandidatos a presidentes da Assembleia Geral e do Conselho de Fiscalização, respetivamente.

Natural de Faro, João Rodrigues, 62 anos, emigrou ainda criança, com a família, para a África do Sul, onde anos mais tarde iniciou a sua vida empresarial.

Tornou-se acionista da SAD do Farense aquando da presidência de António Barão e, em 2016, após a descida do clube algarvio ao Campeonato de Portugal, na altura o terceiro escalão do futebol português, adquiriu a maioria das ações e foi eleito presidente da SAD.

Dois anos depois, em 2018, assumiu igualmente a presidência do clube, sucedendo a António Correia, tendo sido reeleito pela primeira vez em 2021 e novamente em 2023.

Sob a sua liderança, o Farense subiu à I Liga em 2020, após uma ausência de 18 anos, e desceu um ano depois, tendo conseguido há um ano a segunda promoção ao escalão principal, onde continuará na temporada 2024/25.

 



Comentários

pub