Marcelo afirma que «luta pela democracia e dignidade humana vai ter de ser ganha»

Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem na cerimónia em que entregou o Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa 2023

O Presidente da República apelou hoje à luta pela democracia e pela dignidade humana, afirmando que «vai ter de ser ganha», perante ataques a estes valores por todo o mundo, incluindo no continente europeu.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem na cerimónia em que entregou o Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa 2023 à ativista marroquina de direitos humanos Amina Bouayach e à rede de universidades Global Campus of Human Rights, na Sala do Senado da Assembleia da República.

Segundo o chefe de Estado, distinguir o trabalho destes dois premiados «é reconhecer que continua a haver espaço para a defesa dos valores do Conselho da Europa».

«É reconhecer que, apesar dos ataques a estes valores um pouco por todo o universo, incluindo no nosso continente, a luta pela democracia e pela dignidade humana não está perdida e vai ter de ser ganha», afirmou.

«Todos podemos contribuir para o projeto de um mundo melhor. Não desperdicemos essa oportunidade. Mais do que um apelo deste tempo, é uma missão de vida», acrescentou o Presidente da República.

No seu discurso, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que, após o 25 de Abril de 1974, a consolidação da democracia portuguesa contou com «o apoio inestimável do Conselho da Europa – a que, não por acaso, Portugal aderiu pela mão de Mário Soares logo no final de 1976».

«Ainda durante a revolução e os trabalhos da Assembleia Constituinte, uma delegação da mesma Constituinte visitara a Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa – delegação de que tive a honra de ser o mais jovem deputado», recordou.

O chefe de Estado considerou que, desde então, «o Conselho da Europa, que assinala 75 anos de vida, soube adaptar-se e evoluir para responder aos contínuos desafios, na Europa e fora dela», e que «hoje com uma guerra de agressão em pleno continente europeu e uma situação complexa e dramática no Médio Oriente, o seu papel é ainda mais importante».

 

 

 



Comentários

pub