PS admite resultado aquém das expetativas no Algarve e promete tirar lições da derrota

Socialistas passam de cinco para três deputados pelo Algarve

O PS perdeu esta noite dois dos cinco deputados que elegeu em 2022 pelo círculo eleitoral de Faro e admite que o resultado eleitoral na região algarvia «não corresponde» às suas expetativas.

Os socialistas foram os grandes derrotados da noite, na região algarvia, não só porque perderam mais de 17 mil votos, de uma eleição para a outra, mas também porque viram o Chega retirar-lhes o estatuto de força política com mais votos, no distrito de Faro.

«Tomamos devida nota do desalento com que muitos algarvios se expressaram e não ficaremos indiferentes ao desejo manifestado de mais ação e maior visibilidade política para a nossa região», afirmou, numa nota de imprensa, Luís Graça, presidente do PS Algarve e um dos três deputados que o PS elegeu na região.

O Sul Informação tentou obter uma reação de viva voz tanto de Luís Graça, como de Jamila Madeira, cabeça de lista socialista pelo Algarve, mas esta só foi veiculada na forma de um texto assinado pelo presidente da federação socialista.

«Registamos, com humildade democrática, o significativo aumento dos sinais de insatisfação e de protesto, que impõem a todos os democratas e, em particular, aos socialistas, reflexão e redobrada determinação no combate contra as desigualdades sociais, pela promoção das qualificações dos jovens e de emprego de qualidade e a devida inserção social dos mais frágeis e desprotegidos», afirmou Luís Graça.

Na nota, os eleitos socialistas prometeram «trabalhar na Assembleia da República, em estreita ligação com os nossos autarcas, nos municípios e nas freguesias, de forma a honrar a confiança que os algarvios depositaram no Partido Socialista e assumem forte vigilância na execução dos projetos e investimentos que estão em curso na nossa região, desde logo na área da saúde, com o lançamento do concurso do Hospital Central à cabeça».

Os deputados eleitos pelo PS, no Algarve, também falam nos projetos em curso para «garantir água», nomeadamente a «construção da Central de Dessalinização de Água do Mar e a captação de água no Pomarão».

«A construção, em parceria com os municípios de um Parque Público de habitação acessível à classe média, aos trabalhadores e aos jovens, a conclusão das obras de eletrificação da linha de caminho de ferro, a construção da Variante de Olhão e o concurso da ligação de São Brás de Alportel à Via do Infante. Os investimentos no Serviço Nacional de Saúde, como a requalificação dos centros de saúde, orçada em 47 milhões de euros, garantidos no PRR e o avanço do Centro Oncológico e, tal como assumimos na campanha eleitoral, iremos propor o fim das portagens na Via do Infante», asseguram.

 

 

 



Comentários

pub