Calceteiros de Letras regressam a Faro para festival dedicado à palavra

Serão três dias de palavra dita, poesia e performance

A 5ª edição do Festival Spoken Word – Calceteiros de Letras decorre de 12 a 14 de Novembro, no Gimnásio Clube de Faro.

Serão três dias de palavra dita, poesia e performance. O público também é convidado a partilhar textos e poemas em serões de “microfone aberto”, em que o único limite é a vontade de participar.

O festival abre no dia 12, às 21h30, com dois micro espetáculos. “Nos Olhos da Noite”, de Tiago Marcos, e “O Esculpir da Sombra”, de Sara Martins, ambos acompanhados de música e vídeo.

Segue-se a anteestreia nacional de “2700. Dias de Ferro”, espetáculo de spoken word, no qual os performers Nuno Piteira e Luís Perdigão levam os espectadores numa viagem de comboio pela Linha de Sintra, repleta de rimas, batidas, paisagens sonoras e gente que vai e vem.

No sábado, dia 13, às 21h30, há a estreia do espetáculo “Incompletude ”, em que duas pessoas se descobrem através da poesia (Armando Correia e Sofia Brito), com a paisagem sonora ao vivo da cantora (Ana Dacosta).

Segue-se o performer Nílson Muniz , com “Palavra Corpo e Som”, coletânea de poemas autorais, onde o performer explora a multiplicidade poética através do universo imagético e sonoro da palavra.

Ainda no sábado, mas às 15h00, realiza-se o workshop “O ritmo de um verso”.

Ao longo de uma viagem holística, repleta de múltiplas paisagens e triggers sonoros, Nuno Piteira e Luís Perdigão convidam os participantes desta oficina a mergulharem fundo na alquimia de sons e palavras que cada um guarda dentro de si.

A iniciativa destina-se a poetas, a não-poetas, performers, atores, cantores, estudantes e interessados pela palavra em geral, a partir de 16 anos

Domingo, dia 14, a partir das 16h00, haverá “Raposinha” com Fernando Pessanha.

Seguem-se depois várias performances.

No final da tarde haverá a entrega do prémio Calceteiros de Letras (o vencedor será divulgado no próprio dia), que distingue um artista ou entidade que ao longo dos anos tenha contribuído para a difusão da palavra e da poesia de forma criativa e original.

O prémio é criação do artista plástico João Frank, que é ainda o autor de videomapping que vai ser exibido na abertura de cada uma das sessões do Festival.

Segundo Pedro Bartilotti, presidente do Gimnásio Clube de Faro, «este festival honra todos aqueles que ao longo dos últimos cinco anos têm contribuído para que a palavra dita assuma um papel cada vez mais importante no panorama das artes no Algarve e tenta contribuir para o surgimento de novos poetas».

Os bilhetes custam 5 euros, por dia e podem ser reservados para ginasioclubefaro@gmail.com

Os sócios com quotas em dia têm entrada gratuita.

 



Comentários

pub