Serviço Educativo do Museu de Portimão está de volta com um programa cheio de atividades

Serviço parou durante ano e meio devido à pandemia

O Serviço Educativo do Museu de Portimão está de volta, depois de ano e meio de paragem forçada, devido à pandemia, e continuará a divulgar aos mais novos «o valoroso património cultural – imaterial e material – do concelho, promovendo ao mesmo tempo o seu envolvimento direto na defesa e preservação das tradições mais ancestrais», já a partir deste início de ano letivo.

As atividades decorrerão «dentro e fora das portas do Museu de Portimão, estando programadas visitas a este equipamento cultural das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h00, dirigidas às crianças do Pré-escolar e do 1º Ciclo de todas as escolas do município e de outros concelhos limítrofes, que têm ao dispor um conjunto de atividades e tarefas adaptadas a diferentes níveis etários, visando descobrir a história e o património do concelho, de forma criativa e pedagógica», segundo a Câmara de Portimão.

Entre as propostas conta-se «a já popular “Da Sardinha à Lata”, na qual as crianças ficam a saber como se faz uma lata de conservas. Na “Primeira Impressão”, deixam a sua marca na fábrica, porque em tempos idos, antes de saírem da fábrica, as caixas das latas de conserva eram marcadas e carimbadas com o nome da cidade ou país a que se destinavam».

Através deste serviço, «são ainda desenvolvidos projetos temáticos destinados a grupos e à comunidade educativa, como é o caso de “Um novo recife artificial “, em que se explica o que é um recife artificial e porque foi criado, ou “Os quadradinhos que pisamos todos os dias!”, que aborda o uso ancestral da pedra para fazer estradas, ruas e o chão».

A Câmara de Portimão destaca, ainda, as atividades “Os Sons da Natureza”, na qual os participantes descobrem novos sons a partir de materiais simples e objetos da natureza, “À Descoberta da Pré-história”, onde ficam a saber como é que os povos da pré-história viviam, e “Ideias e formas em movimento”, em que tudo acontece e se movimenta no incrível mundo dos desenhos animados.

«As experiências gratificantes numa visita ao Museu percorrem ainda as atividades “Um Mergulho na História” (do fundo do rio Arade e do oceano Atlântico surgem objetos muito antigos) e “Iniciação à arqueologia” (debaixo da terra existem inúmeros materiais deixados por outros povos que viveram há muitos anos atrás)», acrescenta a autarquia.

O Museu de Portimão acolherá visitas de alunos do concelho, mas também irá ter com eles aos estabelecimentos onde estudam.

Nas escolas, em ambiente de sala de aula, «técnicos, professores e alunos dão asas a “Um fantoche na ponta dos dedos”, oficina de expressão plástica que procura despertar a criatividade, imaginação e capacidade de criar e contar histórias, ou “Uma meia um fantoche”, na qual se procura despertar a curiosidade para explorar o mundo dos fantoches, dando a conhecer diferentes técnicas de construção».

Em “O caixeiro-viajante e as memórias antigas”, da mala do protagonista «saem lucernas, candeias, candeeiros, ardósias, máquinas, rolos, películas fotográficas, cassetes, discos e disquetes, moedas (escudos), cartas, postais e telefones, uma infinidade de objetos com histórias para contar».

O programa da Oficina Educativa do Museu de Portimão integra as crianças e jovens do Pré-Escolar, do 1º, 2º e 3º Ciclos, e do Ensino Secundário e Universitário do concelho, abrangendo um universo de quase 6000 alunos, cujas atividades envolvem diversos níveis de ensino, a pensar na comunidade escolar e na educação para a cidadania.

«É igualmente propósito o desenvolvimento do gosto e do respeito pela diversidade cultural, criando experiências gratificantes que fomentem visitas regulares ao Museu de Portimão, numa perspetiva de educação não-formal, de forma a contribuir para a valorização do património cultural e integração social».

Mais informações podem ser obtidas através dos números 282 405 235 / 230 ou do email oficinaeducativa@cm-portimao.pt.

 

 



Comentários

pub