DGS recomenda dose adicional de vacina a imunosuprimidos com mais de 16 anos

Recomendação «tem como objetivo salvaguardar a eficácia das vacinas em pessoas com imunossupressão que possam não ter alcançado o nível de proteção adequado»

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomendou esta quarta-feira, para as pessoas com mais de 16 anos e em condições de imunossupressão, a administração de uma dose adicional de vacina contra a COVID-19.

A Norma 002/2021, ontem atualizada, prevê a administração de uma dose de vacina de mRNA com um intervalo mínimo de 3 meses, após a última dose do esquema
vacinal anteriormente realizado.

Esta recomendação é «uma nova oportunidade de vacinação, dentro do esquema inicial estipulado, e tem como objetivo salvaguardar a eficácia das vacinas em pessoas com imunossupressão que possam não ter alcançado o nível de proteção adequado», explica a DGS.

As pessoas elegíveis são as que poderão ter sido «vacinadas durante um período de imunossupressão grave, nomeadamente as que realizaram transplantes de órgãos
sólidos, pessoas com infeção VIH com contagem de linfócitos T-CD4+ <200/µL, doentes oncológicos e pessoas com algumas doenças auto-imunes que tenham efetuado tratamentos referidos na Norma», acrescenta a DGS.

A vacinação de pessoas com imunossupressão deve ser efetuada sob orientação e prescrição do médico assistente.

A DGS diz ainda, no comunicado divulgado ontem à noite, que a «recomendação está alinhada com a evidência científica mais recente e poderá ser ajustada em função da evolução do conhecimento».

 



Comentários

pub