Loulé vive fim de semana de teatro com “A Voz Humana” e “Perfil Perdido”

Bilhetes estão à venda

As peças de teatro “A Voz Humana” e “Perfil Perdido” vão estar em cena este fim de semana, 22 e 23 de Maio, na sede do Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé e no Cineteatro Louletano. 

Após a reabertura das portas em Abril, o mês de Maio tem sido rico ao nível da programação no Cineteatro Louletano, com cinema, música e teatro.

Desta vez, a 21, 22 e 23 de Maio (sexta, sábado e domingo), sempre às 19h00, o Teatro do Elétrico traz-nos “A Voz Humana”, um espetáculo de teatro como um concerto de rock, baseado num texto emblemático de Jean Cocteau.

Interpretada por Patrícia Andrade – que também encena com David Pereira Bastos – a peça assenta num monólogo.

“A Voz Humana” estará em cena na Sede do Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé, na Rua de Nossa Senhora de Fátima, próximo do Palácio Gama Lobo.

Também a 22 e 23 (sábado e domingo), no Cineteatro Louletano – às 21h00 no sábado e às 17h00 no domingo – chega a Loulé uma peça que se destacou em Lisboa, no Teatro São Luiz, protagonizada por Beatriz Batarda e Romeu Runa, evento do qual o Cineteatro Louletano é co-produtor.

“Perfil Perdido” é uma produção conjunta do Cineteatro Louletano com o São Luiz Teatro Municipal, Teatro Nacional S. João e Centro Cultural Vila Flor, e explora a relação pai-filho num espectro alargado, como um estaleiro e arena onde entram em jogo espaços, tempos e estados feitos da tensão entre o que é domesticável e o que é indomável, entre a animalidade e a humanidade. Criada em estreita relação com os dois artistas, a peça aborda questões de género, filiação, domesticidade e os limites entre realidade e ficção.

Se adquiridos separadamente os bilhetes para “A Voz Humana” e “Perfil Perdido” custam, respetivamente, 5 e 10 euros, mas se comprados em conjunto têm um valor total de 12 euros, que pode ainda ser sujeito a desconto para quem tem Cartão de Amigo do Cineteatro Louletano.

Os ingressos podem ser comprados aqui.

Em Maio, haverá ainda lugar para mais dois grandes espetáculos para ver em total segurança no Cineteatro Louletano: um deles a 26, com a performance da Associação Folha de Medronho (Loulé) “Chama mãe ao coração – diálogos do corpo e da palavra”, trabalho que aborda a complexidade das relações, as fragilidades da condição feminina na(s) sociedade(s) e a constante noção distorcida de amor. O outro, a fechar o mês, no dia 30, um evento que junta a música e a palavra: o recital “Enoch Arden”, um melodrama para narrador e piano de Richard Strauss., sobre poema de Tennyson.

O Cineteatro – que este ano celebra não só os 91 anos como também os 10 anos da reinauguração após as obras – é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé, integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos e que ostenta o selo “Safe and Clean”, atribuído aos equipamentos que zelam pelas regras de higiene e segurança da Direção-Geral de Saúde.

 



Comentários

pub