Portimonense prolonga crise com derrota em Braga

Algarvios nunca conseguiram impor o seu futebol

Foto: Portimonense SAD

O Portimonense perdeu por 3-1, na visita ao Sporting de Braga, em jogo da 24ª jornada da I Liga de futebol, disputado esta sexta-feira, 6 de Março. Os algarvios continuam em crise profunda e podem complicar as contas da manutenção.

Pressionado pela necessidade de pontos, o Portimonense sabia que não teria tarefa fácil. Do outro lado estava o Sporting de Braga, o 3º classificado que, apesar de ter perdido o treinador Rúben Amorim para o Sporting, é sempre uma equipa temível.

Essa teórica superioridade começou a materializar-se desde cedo. Logo ao minuto 2, Ricardo Horta, servido por Paulinho dentro da área, rematou ao poste.

A pressão bracarense manteve-se, mas voltou a esbarrar nos ferros. Aos 8′, foi Paulinho a atirar à barra, num grande remate de primeira, em vólei.

A partir daqui, o Portimonense soube equilibrar, mas sem criar verdadeiras oportunidades de perigo. Aliás: os algarvios não tiveram uma chance digna dessa nome, durante todo o primeiro tempo.

Até chegou o primeiro golo – e para o Braga. Jadson perdeu a bola em zona proibida, Paulinho correu até à baliza, passou para Trincão e o jovem craque marcou só com Gonda pela frente. 1-0, aos 31 minutos.

O segundo apareceu ainda antes do intervalo (45+2′), num lance em que o guarda-redes do Portimonense não fica isento de culpas. Gonda defendeu para a frente um primeiro remate de Trincão e Raúl Silva apareceu na recarga. O lance ainda foi analisado pelo vídeo-árbitro, por alegado fora de jogo, mas acabou por ser validado.

Para o segundo tempo, Paulo Sérgio lançou Aylton e tirou Lucas Fernandes, quiçá na busca de dar um abanão no jogo. Se a intenção era essa, nunca saberemos… E porquê?

Porque o Braga voltou a marcar, logo ao minuto 46. Trincão (um craque…) cruzou, Jadson não conseguiu cortar e Ricardo Horta teve tempo para tudo: dominou e rematou sem hipóteses para o 3-0.

O quarto só não chegou aos 59 minutos porque Paulinho voltou a acertar na barra. Quanto ao Portimonense, teve o primeiro remate à baliza surgiu aos 69′, por Ricardo Vaz Tê.

O veterano avançado português até acabou por marcar ao minuto 77, num remate cruzado, com a bola a bater ainda no poste. Só que o lance foi anulado por fora de jogo, deitando por terra as escassas esperanças dos algarvios.

Os minutos finais, por estranho que pareça, até foram aqueles em que o Portimonense mostrou melhor futebol. De tal maneira, que marcou mesmo, já aos 90+3′, por intermédio de Aylton Boa Morte.

Com mais esta derrota, por 3-1, o Portimonense mantém os 16 pontos e o penúltimo lugar, estando 6 pontos abaixo da linha de água. Os algarvios não vencem desde 30 de Novembro.

 

Comentários

pub
pub