PCP/Albufeira: Covid-19 não pode ser desculpa para «abusos do grande patronato»

«Onde estão os grandes lucros que a hotelaria arrecadou ao longo dos últimos anos?», interrogam os comunistas

O PCP de Albufeira considera que a atual pandemia da Covid-19 não pode ser uma desculpa para «os abusos e aproveitamento do grande patronato», dando como exemplo o processo de lay-off no Hotel Sheraton daquela cidade. 

Segundo esta concelhia, o Sheraton avançou para «uma situação de lay-off, reduzindo para dois terços o salário dos cerca de 250 trabalhadores e transferindo para a segurança social grande parte desses encargos».

O PCP considera que esta opção é «particularmente significativa quando, ao longo dos últimos anos, o Hotel Sheraton, e outras grandes unidades hoteleiras, acumularam lucros significativos ao mesmo tempo que mantiveram congelados os salários das centenas de trabalhadores de que precisam para manter o seu negócio».

«O salário é um direito inalienável. Não pode o patronato utilizar a grave situação de saúde pública para diminuir os rendimentos dos trabalhadores, já por si, e na maior parte, insuficientes para fazer face às suas necessidades. As férias forçadas, que estão a ser impostas em muitas das unidades hoteleiras, estão também fora do âmbito legal, uma vez que as férias são um direito dos trabalhadores e não um instrumento do patronato para limitar prejuízos», acrescentam os comunistas que deixam também uma pergunta.

«Onde estão os grandes lucros que a hotelaria arrecadou ao longo dos últimos anos? Os anos dourados dos hotéis esgotados durante a época alta, onde imperaram os baixos salários, a precariedade, a repressão e o ataque aos direitos mais elementares dos trabalhadores e à atividade sindical?».

Assim, o PCP de Albufeira «condena o aproveitamento, por parte do patronato, devido à situação que o país vive, sob o efeito da pandemia da Covid-19 que afeta, naturalmente, o Algarve».

Comentários

pub
pub