Lagoa debate plano algarvio de adaptação às alterações climáticas

Sessão contará com especialistas em alterações climáticas

A Assembleia Municipal de Lagoa vai promover o debate Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas (PIAAC) do Algarve, no dia 18 de Março, às 21h00, no Auditório do Centro Cultural – Convento de São José.

Esta sessão pública, com formato de debate temático, vai contar com a presença de Luís Dias, coordenador científico e executivo do PIAAC Algarve, Cristina Veiga Pires, investigadora da Universidade do Algarve e coordenadora da equipa das Zonas Costeiras do plano, Brandão Pires, 1º secretário executivo da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, e Sérgio Inácio, gestor do PIAAC.

Esta será uma Sessão Extraordinária Temática da AM, inserida no ano temático “Lagoa 2020 – Cidade Sustentável”, «tem como objetivo debater as alterações climáticas, as suas causas e efeitos na Região do Algarve, atenta as vulnerabilidades que o território apresenta, em especial as suas zonas costeiras», segundo a AM de Lagoa.

Ao mesmo tempo, pretende-se «alertar a população para os riscos decorrentes das alterações climáticas e dar conhecimento das medidas preconizadas para mitigá-las, e, por outro, sensibilizar a população e os agentes económicos para a necessidade do uso eficiente da água e para a racionalização e harmonização do seu uso para os diversos fins».

A sessão visa, igualmente, sensibilizar os decisores políticos nacionais «para a especificidade da região do Algarve, nem sempre compreendida e considerada, e para a necessidade de implementar, com carácter de urgência, as medidas apontadas no PIAAC – Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas no Algarve».

O debate deverá centrar-se em torno de dois eixos principais, os recursos hídricos e as Zonas Costeiras, que «são dois dos problemas decorrentes das alterações climáticas que mais preocupam a população algarvia», acrescenta o mesmo órgão».

Para a AM de Lagoa, «a escassez de recursos hídricos e a seca severa são motivos de séria preocupação da população algarvia, dos agentes políticos e económicos da Região, pois a água é um fator crítico para o seu desenvolvimento sustentável».

«Não menos preocupante, a médio/longo prazo, é a subida das águas do mar, em resultado do aquecimento global, que poderá ter efeitos devastadores na costa algarvia, em especial nas povoações costeiras. O debate do PIAAC – Plano de Adaptação às Alterações Climáticas do Algarve é, por isso, um debate urgente, oportuno e necessário», concluiu.

Comentários

pub
pub