Covid-19: Loulé e Portimão suspendem atividades, Faro cria salas de isolamento

Até agora, há dois casos confirmados, com origem no Algarve, ambos em Portimão

O programa de Férias da Páscoa para alunos de Loulé foi suspenso e, em Portimão, as celebrações do 9º aniversário da Associação Teia d’Impulsos e os Prémios Choque Frontal também foram adiados. Faro, por sua vez, ativou o plano de contingência, com a criação de salas de isolamento. Estes são (mais) alguns efeitos do Covid-19. 

Assim, começando por Loulé, a autarquia aprovou, por unanimidade, na passada sexta-feira, 6 de Março, suspender os programas “Férias para Todos” e “Férias para Todos XL”, que iriam decorrer na primeira semana das férias da Páscoa, de 30 de Março a 3 de Abril.

Seguindo as diretivas da Direção Geral de Saúde no que respeita ao COVID-19, esta é, pois, uma medida preventiva já que o Município reconhece «a forte probabilidade de possível risco de contágio e risco para a saúde pública» até por estar envolvido um número significativo de crianças e jovens – cerca de 800.

«Sabemos que esta decisão irá afetar muitas famílias, todavia, e face ao cenário epidémico com que nos deparamos, não podemos correr riscos. Esta iniciativa é de grandes dimensões, comporta um elevado número de alunos com idades entre os 6 e os 16 anos provenientes de todo o concelho e pressupõe a sua concentração em espaços públicos escolares, pavilhões e cantinas, assim como passeios e visitas a locais de entretenimento, cinemas, salas de espetáculos, galerias de exposições, entre outros», considera o executivo municipal.

Quanto aos pais que já tinham pago a participação dos filhos nestas atividades, vão ser reembolsados. Para tal, é necessário contactar o Departamento de Educação e Juventude através do telefone 289 400 883.

Em Portimão, cidade que já registou dois casos de coronavírus, no seguimento do encerramento preventivo dos equipamentos culturais e desportivos sob a gestão da Câmara até 31 de Março, a Teia D’Impulsos adiou a celebração do 9º aniversário da Associação, cancelando também todas as atividades previstas para o Espaço Raiz.

Quanto aos prémios “Choque Frontal ao Vivo”, iniciativa que se iria realizar dia 14, foram mesmo cancelados.

«Apelamos à compreensão de todos, perante esta medida preventiva que visa garantir a segurança e minimizar o potencial de propagação do surto de Covid-19 num evento que concentra pessoas de vários pontos do pais, quer na assistência, quer entre o ‘staff’ técnico», explica a organização.

«Trata-se de uma decisão difícil, mas que salvaguarda, simultaneamente, a saúde de todos os participantes e público. Ainda que não haja um número elevado de casos em Portimão e embora pudéssemos implementar as mais variadas medidas preventivas antes e durante o evento, a conclusão a que chegámos é de que não podemos realizar um evento com esta dimensão, sem colocar em risco a segurança de todos», acrescenta.

Os prémios serão enviados para os vencedores de cada categoria e a seu tempo serão divulgados.

A todos os que adquiriram bilhetes para o evento “Prémios Choque Frontal ao Vivo” será devolvido o valor pago, bastando para isso apresentar na bilheteira do TEMPO o respetivo bilhete.

Por fim, em Faro, o Município já tem preparado e implementado um Plano de Contingência face à propagação da infeção pelo coronavírus.

O Plano de Contingência da autarquia divide-se em três fases: monitorização, alerta e recuperação, sendo que as ações previstas para cada uma poderão ser alteradas em face da evolução da epidemia e/ou de novas diretivas emanadas pela DGS.

Assim, para a Fase de Monitorização foram definidas algumas regras a respeitar por todos os colaboradores tendo sido criadas salas de isolamento em cada um dos espaços geridos pela autarquia e constituída uma equipa operativa de gestão do plano, chefiada pelo presidente da Câmara, que será responsável pela implementação da estratégia a adotar em função da evolução da situação.

Quanto aos serviços de atendimento ao público, será reforçada a disponibilização de descartáveis, como desinfetante para as mãos e luvas, ficando ainda assegurada a intensificação dos procedimentos de limpeza dos locais com maior afluxo de trabalhadores e utentes e das superfícies de trabalho e objetos manuseados.

Para minimizar o risco de infeção, deverão ser utilizados meios de comunicação eletrónicos, em detrimento dos contactos pessoais.

Na Fase de Alerta, o plano define passo a passo o procedimento a adotar perante um caso suspeito e as medidas destinadas a minimizar a transmissão da doença. Nelas se incluem o recurso ao teletrabalho (desde que se justifique) e o recurso a meios de comunicação não presenciais (telefone, correio eletrónico e outros).

Para além da implementação destes procedimentos, o presidente da Câmara decidiu ainda convocar uma reunião extraordinária da Comissão Municipal de Proteção Civil, a realizar na próxima quinta-feira, dia 12 de Março, às 11h00, no Salão Nobre dos Paços do Município.

O objetivo é, segundo Rogério Bacalhau, que detém o pelouro da Proteção Civil, «garantir que, em Faro, todos os espaços públicos municipais têm o seu plano com todas as necessidades acauteladas, de modo a prevenir ocorrências, implementar as melhores práticas e, se for caso disso, dar uma primeira resposta à altura do que se exige».

O autarca deixou ainda o apelo à população para que esta adote «comportamentos preventivos, agilizando cuidados básicos como a lavagem frequente das mãos e, em ambiente social, assegurar uma distância de proteção».

Comentários

pub
pub