Autarcas do Algarve exigem «medidas de controlo mais drásticas» nas fronteiras

Autarcas estão «preocupados com a vinda de cidadãos de outras nacionalidades, oriundos de países onde o problema da infeção com coronavírus é altamente preocupante»

Os presidentes de Câmara do Algarve exigem que o Governo «tome medidas mais drásticas de controlo» das fronteiras, nomeadamente a com Espanha, mas também no aeroporto, devido à pandemia de Covid-19.

Numa nota enviada ao Sul Informação por António Pina, presidente da AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, esta entidade «manifesta a sua preocupação com a vinda de cidadãos de outras nacionalidades, oriundos de países onde o problema da infeção com coronavírus é altamente preocupante».

«Com a declaração de quarentena no país vizinho, constata-se uma grande afluência de cidadãos espanhóis. Perante esta situação, os presidentes de Câmara do Algarve solicitam ao Governo que tome medidas mais drásticas de controlo destes fluxos, seja nas fronteiras terrestres ou aeroportuários», lê-se na nota.

Para os edis algarvios, «o esforço que os portugueses estão a fazer não será compensado se se mantiver a vinda de cidadãos de outros países, seja para férias ou em trabalho».

Comentários

pub
pub