ANA apela a que só quem vai viajar se desloque aos Aeroportos

ANA está a trabalhar com a PSP no sentido de criar um sistema de limitação de acesso

A ANA Aeroportos de Portugal apela a que «só se desloquem aos aeroportos nacionais as pessoas que vão efetivamente viajar», de modo a «evitar grandes aglomerados de pessoas» naquelas infraestruturas.

Em comunicado, a ANA anuncia que «está a trabalhar com a PSP no sentido de criar um sistema de limitação de acesso que possa ser rapidamente implementado».

Mesmo dentro dos aeroportos, «os passageiros vão ser chamados a cumprir escrupulosamente e de forma responsável a recomendação de distanciamento social aconselhável para a prevenção do contágio, e orientados para circuitos seguros de forma a garantir o cumprimento das orientações da Direção Geral da Saúde, com o apoio sempre que necessário da PSP».

Por outro lado, foi também determinado o encerramento dos lounges em todos os aeroportos.

Segundo a ANA, estas medida inserem-se num conjunto de outras que já estão a ser executadas para garantir a segurança de todos os que passam pelos aeroportos nacionais, nomeadamente:

• Reforço do plano de limpeza das áreas comuns em todos os espaços de circulação e de espera (cadeiras, corrimãos, superfícies, etc).
• Reforço de dispensadores de gel desinfetante e a adequação dos produtos de limpeza.
• Afixação e disponibilização de informação dirigida aos passageiros em todas as entradas no país, nos aeroportos da rede ANA.
• Criação e/ou adequação de Áreas de Contenção, para utilização em caso de necessidade;
• Elaboração de Planos de Resposta para Ameaças à Saúde Pública, alinhados com as orientações da OMS e da DGS e por esta Autoridade validados.
• Comunicação e divulgação do Plano aos demais stakeholders que exercem atividades nos aeroportos.

A ANA acrescenta que está «a acompanhar permanentemente os colaboradores que, pela sua função, têm um contacto mais próximo com terceiros».

«No caso de a função o permitir, foi decidida e implementada a promoção do teletrabalho».

A ANA termina garantindo que «continua a acompanhar a evolução da situação de forma permanente, em estreita ligação com as Autoridades de Saúde e a Autoridade Nacional da Aviação Civil» e afirma-se «totalmente empenhada em contribuir para o esforço nacional de mitigação dos riscos para melhor combater esta pandemia».

Comentários

pub
pub