Via do Infante com descontos entre 20 e 40% a partir de Julho

Nos primeiros 6 dias de circulação, não há descontos

Viajar na Via do Infante vai ficar mais barato a partir de Julho. Esta é uma das sete antigas SCUT (autoestradas sem custos para o utilizador) onde passará a haver descontos até 40% para os utilizadores mais frequentes destas vias.

A medida faz parte do pacote de propostas para o Interior, que serão aprovadas amanhã, quinta-feira, no Conselho de Ministros que terá lugar em Bragança, segundo noticiaram esta manhã a Antena1, RTP e Rádio Renascença.

Os descontos nas classes 1 e 2 vão variar conforme a utilização mensal: nos primeiros seis dias, é pago o valor integral das portagens; entre o 7º e o 15º dia, o desconto é de 20%; a partir do 16º dia, a redução é de 40%. Quem utilizar a autoestrada 22 dias por mês tem um desconto médio de 20%; quem circular 30 dias por mês, tem um desconto médio de 25%, beneficiando os residentes, trabalhadores e visitantes frequentes destes locais.

«Vamos conseguir implementar no terceiro trimestre deste ano um sistema de redução de portagens, privilegiando as portagens do interior. É um desconto de quantidades, que privilegia os utilizadores frequentes, quer sejam residentes quer trabalhem nestes territórios ou que os visitem regularmente», avançou ministra Ana Abrunhosa, em declarações à Rádio Renascença.

Os descontos vão ser aplicados nas autoestradas A22 (Lagos-Vila Real de Santo António), A4 (Porto-Vila Real), A24 (Viseu-Chaves e Viseu-Vila Real), A28 (Porto-Viana), A25 (Aveiro-Viseu), A23 (Castelo Branco-Covilhã) e A13 (Coimbra-Torres Novas).

Além dos descontos para os automóveis ligeiros, haverá também um novo sistema de descontos para pesados, com o transporte de passageiros a beneficiar da redução já aplicada às mercadorias: 35% se a viagem for de dia; 55% se a deslocação for de noite. Até julho, os descontos para as mercadorias serão de 30% e de 50%, respetivamente.

Para aproveitar estes benefícios bastará ter um identificador eletrónico, não sendo necessária uma certificação do IMT – Instituto da Mobilidade dos Transportes.

A ministra Ana Abrunhosa admitiu ainda que os descontos possam vir a aumentar nos próximos anos. «Para que esta medida seja sustentável, nós temos que ir reduzindo gradualmente».

«A nossa proposta é, no futuro, à medida que o nosso Orçamento do Estado consiga acolher, que consigamos trabalhar nesta redução para garantirmos que, de facto, as pessoas têm melhor qualidade de vida neste territórios e estamos naturalmente a privilegiar os territórios do interior, como está no programa do Governo e como ficou inscrito no Orçamento do Estado», acrescentou a governante.

Questionada pela Rádio Renascença sobre se a medida responde às reivindicações das populações, a ministra sublinha que «privilegia o uso frequente destas vias e, portanto, esta proposta vai ao encontro das reivindicações».

A redução nas portagens vai custar mais de 100 milhões de euros ao Estado.

Comentários

pub
pub