Sociedade Recreativa Bordeirense recebe voto de louvor da Câmara de São Brás de Alportel

Louvor reconhece o trabalho da coletividade na preservação da tradição centenária das Charolas

A Câmara de São Brás de Alportel entregou um voto de louvor à Sociedade Recreativa Bordeirense, como reconhecimento do «meritório trabalho desenvolvido há largas décadas» por esta coletividade, no ano em que se celebram os «100 anos de Charolas, tradição da maior relevância na cultura popular a região».

O louvor, que foi entregue na terça-feira, está, de resto, intimamente ligado à «bonita e tão significativa tradição das Charolas», que, segundo o executivo camarário são-brasense, tem promovido com «relevante empenho» a preservação desta tradição, além de ser parceira do município de São Brás de Alportel em diversas iniciativas culturais.

A Sociedade Recreativa Bordeirense, através de Rui Vargues retribuiu o gesto e dedicou ao executivo a quadra «Pelo gesto que nos apraz/Expressar o nosso agrado/De Bordeira para São Brás/O nosso muito obrigado».

«Fundada em 1936, a Sociedade Recreativa Bordeirense teve na sua génese a tradição das charolas, em particular nas charolas “Mocidade União (criada em 1918) e “União Bordeirense” (criada em 1919). A sua dedicação a esta tradição enraizada na memória coletiva, faz eco nas vizinhas gentes alportelenses que desde tempos imemoriais partilham saberes e tradições com as gentes de Bordeira», descreve a Câmara de São Brás de Alportel.

«De forte expressão regional a Sociedade constitui-se como um polo de dinamização cultural, de preservação e valorização das tradições, hábitos e costumes, levando aos mais diversos palcos nacionais as suas criações. Composta por elementos das mais diversas idades, a Sociedade organiza récitas e peças de teatro, marchas, grupos e encontros de charolas, entre outras iniciativas que mantêm viva a sua atividade e riqueza intergeracional», acrescenta a autarquia.

Comentários

pub
pub