Produtores mostram a sua laranja e os amigos dela em Silves

Ana Moura atua esta noite no palco da Mostra Silves Capital da Laranja

Há laranjas, o seu sumo, doçaria típica e até uma cerveja feita à base deste citrino. A Mostra Silves Capital da Laranja já começou e volta a dar uma oportunidade aos produtores deste concelho de mostrarem o que fazem, mas também a criar um momento de encontro do setor citrícola.

Além de produtos da terra, com a laranja a ser «a rainha», mas bem acompanhada por outros frutos e produtos regionais, podem-se encontrar neste certame maquinaria agrícola, produtos fitossanitários e tecnologia de ponta na área da gestão da água, entre outros.

Também sempre aguardado é o cartaz musical, que este ano é encabeçado pela fadista Ana Moura, que atua esta noite, às 22h00, no palco da mostra. Ontem, o primeiro dia de feira, Rita Guerra fez as honras à casa e amanhã, domingo, será a vez dos De Moda em Moda.

«Criámos esta mostra, para permitir aos produtores partilhar informação e os seus problemas, ao mesmo tempo que se colocam a par daquilo que são os apoios comunitários, o PDR2020, a maquinaria mais evoluída, os fármacos e a forma sustentável de usar esses produtos», resumiu Rosa Palma, presidente da Câmara de Silves, que organiza a mostra há quatro anos.

«Mas como sabemos que as pessoas, por vezes, têm de ter algum pretexto para se deslocar até a este tipo de eventos, temos também outras coisas associadas à laranja, desde a doçaria aos produtos transformados, que nos permitam divulgar o que há de bom na região, em particular no nosso concelho», acrescentou.

A mesma lógica leva que se aposte forte na componente de animação e artística, «para que as pessoas, vindo cá para assistir aos espetáculos, também possam visitar a mostra».

Este modelo tem vindo a resultar e está a ser positivo para o setor, acredita a edil silvense.

«O que nós sentimos é a satisfação da parte dos produtores. Eles ficam satisfeitos por nós estarmos a divulgar e a valorizar o produto deles. Não podemos permitir que o fruto chegue às bancas com um valor insignificante. Estamos aqui a tentar dar mais valor ao produto», disse Rosa Palma.

Também Pedro Valadas Monteiro, diretor regional de Agricultura e Pescas, considera que este tipo de eventos «são fundamentais, pois permitem ao setor comunicar aquilo que de bom está a fazer. É um gosto ver estes stands elaborados e organizados de uma forma altamente profissional. Era um salto que o setor precisava de dar».

Também a componente de conhecimento técnico é muito valorizada, através da realização da conferência Laranja XXI, sempre muito participada. Ontem, houve mais uma edição deste seminário técnico, onde se abordaram temas bem prementes, na atualidade, nomeadamente a escassez de água e o risco de aumento de pragas, devido às alterações climáticas.

A Mostra Silves Capital da Laranja pode ser visitada até amanhã à noite. O programa completo pode ser consultado aqui.

 

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub
pub