Obras de musealização dos Banhos Islâmicos de Loulé arrancam na terça-feira

Auto de consignação da obra será assinado no dia 3, «seguindo-se o arranque dos trabalhos»

A obra de musealização dos Banhos Islâmicos de Loulé vai começar na terça-feira, dia 3 de Março, anunciou a Câmara louletana, que irá investir cerca de 1,3 milhões de euros na empreitada.

O auto de consignação desta intervenção vai ser assinado às 12h30 de terça-feira, «seguindo-se o arranque dos trabalhos».

Com este projeto, a autarquia louletana pretende valorizar este complexo balnear, que funcionou entre os séculos XII e XIII, quer a nível patrimonial, quer a nível turístico, além de «dar a conhecer à comunidade e a todos os que visitam a cidade um dos edifícios de banhos islâmicos mais completos no panorama da arqueologia da Península Ibérica e que é único no contexto nacional».

 

 

De caminho, será, igualmente, musealizado o paço quatrocentista, uma casa nobre do final do século XV que foi construída por cima dos Banhos.

Assim, a intervenção que aqui irá decorrer será realizada dentro da “Casa das Bicas” e o projeto pretende levar a cabo a valorização dos vestígios arqueológicos dos banhos islâmicos, da casa nobre e da muralha medieval e moderna, tornando, inclusive, o torreão aí existente visível do lado das Bicas Velhas.

Este projeto conta com a colaboração do Campo Arqueológico de Mértola que realizou as escavações arqueológicas do complexo desde 2016, assim como da Universidade do Algarve, que estudou o paço quatrocentista.

Comentários

pub
pub