Mito Algarvio celebra aniversário com Grandiosa Festa do Acordeão

Acordeão está ligado à história e à cultura algarvias

O 8º aniversário da Associação Mito Algarvio será assinalado no próximo dia 2 de Fevereiro, com a Grandiosa Festa do Acordeão, em Castro Marim.

«Esta associação de acordeonistas da região tem vindo a trabalhar no sentido valorizar toda a linguagem do acordeão», diz a Câmara de Castro Marim, tendo sido escolhida para receber, nas suas instalações, a Copa Mundial de Acordeão 2020.

Neste âmbito, as celebrações do aniversário da Mito Algarvio contam com a presença de Mirco Patarini, presidente da Confédération Internationale des Accordéonistes (CIA) e membro oficial da Internacional Music Council da UNESCO.

As comemorações do 8º Aniversário da Mito Algarvio acontecem no restaurante “O Infante”, em Altura, às 13h00, com um almoço de gala para o qual são esperadas centenas de pessoas. Segue-se o VIII Festival Internacional do Acordeão, com a presença de reconhecidos acordeonistas – o campeão do mundo Petar Maric (Sérvia), Fábio Guerreiro, Rodrigo Veloso, David Mendes, Rodrigo Maurício, Tiago conceição, Hugo Madeira, David Mendonça, Filipa Nascimento e Inês Sousa. Para reservar o seu lugar nesta festa deve contactar um dos seguintes números: 964 670 079 ou 962 291 979.

Ainda no âmbito das celebrações do 8º aniversário, a Mito Algarvio dará um “Acordeão Concerto” no dia 1 de Fevereiro, na Sociedade Recreativa Bordeirense, em Faro, às 21h30.

Com entradas livres, este espetáculo conta com os nomes sonantes de João Frade, Nelson Conceição e Iurie Chiforisin (Moldávia). É uma organização da Associação Mito Algarvio em parceria com a Confédération Internationale des Accordéonistes (CIA), a Junta de Freguesia de Santa Bárbara de Nexe, Sociedade Recreativa Bordeirense, projeto Terra de Acordeão e Garvefole.

Mais do que o aniversário da Associação de Acordeonistas do Algarve, «esta pretende ser uma celebração de homenagem ao acordeão e aos acordeonistas algarvios, numa simbiose de interpretações de um instrumento que preenche a história e o imaginário popular desta região», diz a Câmara de Castro Marim.

Comentários

pub
pub