Altamira vende empreendimento turístico Vila Branca em Lagos

Esta operação permite à gestora de créditos e ativos imobiliários atingir vendas de 200 milhões de euros em real estate em 2019

A Altamira Asset Management acaba de fechar a venda do empreendimento turístico Vila Branca, situado perto da Praia de Porto de Mós, em Lagos. Este empreendimento fazia parte dos ativos do Banif.

Esta urbanização conta com 82 frações de tipologias T1, T2 e T3 Duplex, de acesso privado.

A operação ocorre meses depois de a Altamira, gestora de créditos e ativos imobiliários, detida em 85% pela italiana doValue (anteriormente doBank) e em 15% pelo banco Santander, ter concretizado com êxito a venda de outro ativo imobiliário no Algarve, um terreno para promoção residencial, localizado em Cabanas de Tavira.

Segundo nota de imprensa, trata-se de «dois ativos que faziam parte do portefólio da Oitante, veículo financeiro que herdou os ativos do antigo banco Banif e que estão a ser geridos pela Altamira Portugal».

A venda do empreendimento Vila Branca, em Dezembro, foi uma das operações que encerraram um ano de crescimento para a Altamira no mercado nacional – a que se juntou a Herdade da Lameira, em Viana do Alentejo, ou o Solar das Necessidades, em Ponta Delgada.

No total, em 2019, as vendas de imóveis do grupo atingiram 200 milhões de euros, valor que representa um aumento de 33% nas vendas de real estate em Portugal face ao ano anterior.

Para o crescimento da atividade da Altamira em Portugal, em 2019, «contribuiu o aumento do ritmo de venda de imóveis um pouco por todo o país, assim como do número de operações que envolveram ativos singulares emblemáticos e de grande dimensão», acrescenta a empresa, em nota de imprensa.

O ano ficou marcado pela concretização de mais de uma dezena de operações que incluíram, entre outros, edifícios vocacionados para o grande retalho (como o Retail Parque Guarda), imóveis industriais (como as antigas instalações da ex-Delphi, em Sintra) e grandes edifícios empresariais, sobretudo nas regiões de Lisboa e do Porto. Adicionalmente, no ano passado, a Altamira registou uma recuperação de crédito malparado na ordem de 50 milhões de euros.

Com um montante de ativos sob gestão que ascende a 1,6 mil milhões de euros, a carteira da Altamira em Portugal divide-se, praticamente ex aequo, entre imóveis e NPLs (Non Performing Loans).

O objetivo passa por, no médio prazo, duplicar o portefólio sob gestão e, dessa forma, atingir a liderança do mercado – à semelhança do que já acontece nos outros países onde a Altamira está presente (Espanha, Itália, Chipre e Grécia). A Altamira Asset Management é o maior servicer no sul da Europa, gerindo uma carteira global de 140 mil milhões de euros.

Eduardo Cerqueira, presidente executivo da Altamira em Portugal, explicou: «temos a ambição de crescer rápida e sustentadamente nos próximos anos, sendo que os resultados alcançados em 2019 nos motivam para a prossecução desse objetivo».

«A qualidade dos ativos que gerimos, altamente diferenciados e diversificados, está na base do aumento das vendas registado no ano passado e é esse posicionamento que queremos cimentar no mercado nacional: o de servicer especializado em vendas de ativos e NPLs complexos e de grande mais-valia», acrescentou.

«A nossa experiência e conhecimento acumulados nos outros mercados onde estamos presentes, permite-nos apoiar os nossos clientes, sejam eles instituições bancárias ou fundos de investimento, de forma absolutamente profissional e com grande expertise associada», disse também Eduardo Cerqueira.

O responsável da Altamira em Portugal refere ainda que «o mercado nacional está a viver um momento excecional, em termos do número de operações e da rentabilidade associada, mantendo-se no radar dos investidores, sobretudo estrangeiros».

Por isso, «a Altamira está a aproveitar estas oportunidades para fazer crescer o seu negócio, ao mesmo tempo que está a aumentar e a consolidar a sua equipa em Portugal».

O ano de 2019 foi de «transformação e restruturação» para a organização em Portugal, com o objetivo de expandir portefólio e diversificar clientes.

A Altamira entrou no mercado nacional em 2017 para gerir a carteira de imóveis e de crédito malparado da Oitante. Conta, atualmente, com 118 colaboradores nos seus três escritórios, em Lisboa, Porto e Funchal.

Comentários

pub
pub