Agricultores do Algarve Central têm apoios até 80% à comercialização de proximidade

Candidaturas já estão abertas

Os agricultores do Algarve Central podem pedir apoios até 80% a fundo perdido para projetos que visem melhorar a comercialização de proximidade, no campo das cadeias curtas e dos mercados locais.

Está aberto até ao dia 6 de Março o período de candidaturas aos concursos “Cadeias Curtas e Mercados Locais – Componente Cadeias Curtas” e “Cadeias Curtas e Mercados Locais – Componente Mercados Locais”, inseridos na Estratégia de Desenvolvimento Local para o Interior do Algarve Central.

As candidaturas a apresentar deverão, desde logo, «promover o contacto direto entre o produtor e o consumidor, contribuindo para o escoamento da produção local, a preservação dos produtos e especialidades locais, a diminuição do desperdício alimentar, a melhoria da dieta alimentar através do acesso a produtos da época, frescos e de qualidade, bem como fomentando a confiança entre produtor e consumidor», segundo a In Loco, a entidade gestora Grupo de Ação Local para o Interior do Algarve Central.

Ao mesmo tempo, devem «incentivar práticas culturais menos intensivas e ambientalmente sustentáveis, contribuindo para a diminuição da emissão de gases efeito de estufa através da redução de custos de armazenamento, refrigeração e transporte dos produtos até aos centros de distribuição».

No que toca ao concurso destinado às “Cadeias Curtas” são elegíveis medidas de «armazenamento, transporte e aquisição de pequenas estruturas de venda; ações de sensibilização e educação para consumidores ou outro público-alvo; desenvolvimento de plataformas eletrónicas e materiais promocionais; ações de promoção e sensibilização para a comercialização de proximidade junto de núcleos urbanos que permitam escoar e valorizar a produção local; e deslocações dos produtores aos mercados locais».

Já na componente “Mercados Locais”, são elegíveis ações de «criação, ou modernização de infraestruturas existentes de mercados locais; ações de promoção e sensibilização para a comercialização de proximidade que permitam escoar e valorizar a produção local; armazenamento, transporte e aquisição de pequenas estruturas de venda; e desenvolvimento de plataformas eletrónicas e materiais promocionais».

Os investimentos devem estar localizados no território do Interior Algarve Central, que abrange as seguintes freguesias: Guia e Paderne, no Concelho de Albufeira; Santa Bárbara de Nexe, Conceição e Estoi, no Concelho de Faro; Alte, Ameixial, Boliqueime, Salir, São Sebastião e Querença, Tôr e Benafim, no Concelho de Loulé; Pechão e Moncarapacho e Fuseta, no Concelho de Olhão; São Brás de Alportel; São Bartolomeu de Messines e São Marcos da Serra, no Concelho de Silves; Cachopo, Santa Catarina da Fonte do Bispo e Luz de Tavira e Santo Estêvão, no Concelho de Tavira.

Para mais esclarecimentos sobre os concursos, contactar a In Loco, através do telefone 289 840 860 ou correio eletrónico dlbc@in-loco.pt, ou o Contact Center do PDR2020, através do número 800 500 064.

Comentários

pub