Sindicato diz que aquacultura na Ria Formosa é «crime hediondo»

A própria Associação de Moradores da Culatra também já veio a público manifestar-se contra este projeto

Um «crime hediondo». É assim que o Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Sul se pronuncia face à possível instalação de um viveiro, de 10 hectares, na Ria Formosa. 

A Direção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) publicou, no passado dia 19 de Novembro, um edital que dá conta de um requerimento para a atribuição de um Título de Atividade Aquícola (TAA) a instalar na Ria Formosa.

Caso esta licença venha a ser atribuída, «permitirá ocupar uma área que está identificada como uma zona de banco natural de moluscos bivalves», segundo o Sindicato.

Além disto, esta é uma «zona de que dependem um considerável numero de mariscadores sem viveiro de amêijoa-boa e também serve um considerável número de viveiristas que ali vão apanhar os juvenis (amêijoas de semente) com vista ao repovoamento dos seus viveiros».

«Pelo que sabemos de acordo com este Edital da DGRM, o título foi requerido pela empresa Bivalvia – Mariscos da Formosa, Lda, que tudo indica se virá mais tarde a denominar-se Bivalves dos Areais e que se destinará ao crescimento e engorda de ostra-portuguesa, ostra-japonesa e amêijoa-boa e que, de acordo com a lei, este título (TAA) será atribuído pelo prazo máximo de 25 anos, renovável por uma vez».

O Sindicato espera que a gestão do Parque Natural da Ria Formosa «se manifeste contra, a tempo e horas, ao abrigo do processo de consulta publica em curso, até ao dia 13 de Dezembro».

Só assim se poderá «evitar mais um hediondo crime contra a Ria Formosa, que resultará num violento ataque àqueles que sempre viveram, trabalharam e produzem na Ria Formosa, os mesmos que querem continuar a habitar, a viver, a trabalhar e a produzir na Ria Formosa».

A própria Associação de Moradores da Culatra também já veio a público manifestar-se contra este projeto. Neste sentido, os deputados do PS, eleitos pelo Algarve, questionaram o ministro do Mar sobre as intenções do Governo.

Comentários

pub
pub