Silves e CPCJ promovem formação sobre competências parentais em comunidades em risco

Destinada a profissionais com formação superior (ou finalistas) nas áreas da Educação, Serviço Social, Psicologia ou Saúde

A Câmara Municipal de Silves, em parceria com a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Silves, promove, nos meses de Janeiro e Fevereiro, uma formação sobre “Promoção de Competências Parentais em Comunidades de Risco”. A formação será dinamizada por Marta Vidal Paula, formadora do Projeto Educarte.

Destinada a profissionais com formação superior (ou finalistas) nas áreas da Educação, Serviço Social, Psicologia ou Saúde, terá quatro sessões nos dias 24 de Janeiro (das 18h30 às 23h00), 25 de Janeiro (das 9h00 às 13h00 | das 14h00 às 18h00), 7 de Fevereiro (das 18h30 às 23h00) e 8 de Fevereiro (das 9h00 às 13h00 | das 14h00 às 18h00).

O objetivo desta iniciativa é desenvolver algumas formas de mediação educativa (nomeadamente o papel dos grupos educativos, das atividades e do diálogo) para promoção de competências parentais em comunidades de risco.

Especificamente pretende-se que os formandos possam ser capazes de caracterizar as competências parentais dos pais a nível comunitário; reconhecer a existência de programas de promoção de competências parentais devidamente fundamentados; enunciar especificidades na competência parental de algumas populações (nomeadamente, comunidades de baixo NSE, minorias étnicas, imigrantes, etc.) e reconhecer as funções de algumas mediações educativas, nomeadamente o papel dos grupos educativos, das atividades e do diálogo.

Os interessados em participar deverão fazer a sua inscrição (ou solicitar mais informações) junto do Sector de Psicologia da autarquia (psicologia@cm-silves.pt), sendo que a participação custa 55 euros (pagamento efetuado diretamente à entidade formadora, através do IBAN – PT50 0007 0020 0021 3570 0033 4, em nome de Marta Vidal Paula).

Os documentos a entregar no ato de inscrição são os seguintes: ficha de inscrição, cópia do cartão de cidadão, cópia do certificado de habilitações ou cartão de estudante (se for o caso), comprovativo de pagamento.

A formação terá no mínimo 20 formados e no máximo 25 e será entregue a cada um Certificado de Formação Profissional com classificação qualitativa numa escala de 5 pontos ou um Certificado de Frequência se não for realizada a avaliação (qualquer certificação exige uma assiduidade mínima de 85% do conteúdo total do curso).

Este curso terá continuidade, já que garante a equivalência ao nível VI da Pós-Graduação em Intervenção Familiar e Promoção de Competências Parentais e ao nível II do Ciclo de Formação em Promoção de Competências Parentais, do projeto Educarte.

 

Comentários

pub