Mensagem de Natal do Bispo do Algarve destaca atitude dos pastores

D. Manuel Quintas realça que «só Jesus Cristo enche o coração e a vida de alegria»

D. Manuel Neto Quintas, Bispo do Algarve, destaca, na sua mensagem para este Natal, a atitude dos pastores que se dirigiram à gruta de Belém para ver o Menino Jesus.

«Tal como os pastores também nós somos convidados, mais uma vez, a percorrer idêntico caminho espiritual para vermos também nós o que aconteceu… e nos encontrarmos com Jesus e a sua família, atraídos pela simplicidade e humildade d’Aquele que assume a nossa condição humana, mostrando-nos o quanto Deus nos quer bem. Nisto reside o essencial do Natal que, como cristãos, somos convidados a celebrar à luz da fé no mistério da encarnação de Jesus, Filho de Deus», afirma o prelado algarvio, num texto inspirado numa passagem bíblica do evangelho de São Lucas (Lc 2,15s).

A família de Nazaré como modelo inspirador para todas as famílias, uma «referência e fonte de conforto e inspiração para as famílias cristãs», é outro dos pontos que D. Manuel Quintas destaca no seu texto, já que considera que «a alegria do amor que se vive nas famílias» e que essa vivência tem sido para a Diocese do Algarve «motivo de júbilo, de inspiração e de empenho pastoral».

D. Manuel Quintas sustenta que «o amor presente na família de Nazaré, reflexo do amor de Deus por toda a humanidade, acolhido e cultivado em cada família, é fonte de vida autêntica, que proporciona aos seus membros a capacidade de crescer como família e como pessoas e de colaborar na construção da grande família humana».

O bispo diocesano, referindo-se particularmente à humildade de Jesus, afirma ainda: «Em Jesus o Pai deu-nos um irmão que nos procura, quando desorientados e sem rumo, e um amigo fiel que caminha sempre ao nosso lado; deu-nos o seu Filho que perdoa e nos ergue, quando prostrados pelas nossas fragilidades», escreve numa referência à recente a carta apostólica do papa Admirabile Signum (sinal admirável), sobre o significado e valor do presépio.

D. Manuel Quintas realça ainda que «só Jesus Cristo enche o coração e a vida de alegria, de quantos se encontram com Ele, alegria que se renova e comunica, capaz de vencer a tristeza provocada por atitudes mesquinhas e comodistas, de vidas fechadas aos outros e sem lugar para os mais pobres».

O Bispo conclui, dizendo que «o espírito que caracteriza esta quadra faz emergir os sentimentos mais nobres do ser humano, mesmo entre não crentes, em relação ao seu semelhante, sentimentos mobilizadores de iniciativas e gestos altruístas, que exprimem a dimensão solidária e fraterna, que deveria caracterizar, habitualmente e ao longo de todo o ano, as relações humanas e a vida em sociedade».

Comentários

pub
pub