Guilherme d’Oliveira Martins é o novo diretor dos Anais do Município de Faro

Jurista tem 67 anos

Guilherme d’Oliveira Martins é o novo diretor dos Anais do Município de Faro, após Joaquim Romero Magalhães, antigo chefe desta publicação, ter falecido no final do ano passado.

Jurista, de 67 anos, professor catedrático convidado da Faculdade de Direito da Universidade Lusíada e do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa e membro executivo do Conselho de Administração da Fundação Gulbenkian, Guilherme d’Oliveira Martins que acedeu esta quinta-feira, 12 de Dezembro, ao convite que lhe foi dirigido por Rogério Bacalhau, presidente da Câmara de Faro.

Personalidade da cultura e da política portuguesas, Guilherme d’Oliveira Martins foi vice-presidente da Comissão Nacional da UNESCO (1988-1994), presidente do Centro Nacional de Cultura entre 2002 e 2016, e académico de mérito da Academia Portuguesa da História (eleito em 6 de Julho 2015). Também foi distinguido com os doutoramentos honoris causa da Universidade Lusíada, da Universidade Aberta e do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

Além disto, foi deputado na Assembleia da República durante sete legislaturas, ocupando como independente os cargos de secretário de Estado da Administração Educativa, de 1995 a 1999, ministro da Educação, até 2000, ministro da Presidência, de 2000 a 2002, e de ministro das Finanças, entre 2001 e 2002

. Foi ainda presidente do Tribunal de Contas entre 2005 e 2015 e, por inerência, do Conselho de Prevenção da Corrupção, de 2008 a 2015.

O seu mérito é reconhecido dentro e fora de portas, tendo recebido inúmeras condecorações, nomeadamente a de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal; Comendador da Real Ordem de Isabel a Católica de Espanha; Grã-Cruz da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul do Brasil; Oficial da Ordem Nacional da Legião de Honra de França; Grande-Oficial da Ordem do Mérito da Polónia; Grã-Cruz da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo; Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique; Sócio Correspondente da Academia das Ciências de Lisboa; Membro Efetivo da Academia da Marinha.

É autor de uma vasta bibliografia da qual se destacam: Lições sobre a Constituição Económica Portuguesa (dois volumes); Oliveira Martins, uma Biografia; Escola de Cidadãos (duas edições); O Enigma Europeu; Educação ou Barbárie?; Portugal – Instituições e Factos (edições em inglês, francês e chinês); Audácia de País Moderno; O Novo Tratado Constitucional Europeu; Portugal – Identidade e Diferença (três edições); Património, Herança e Memória (duas edições); Na Senda de Fernão Mendes – Percursos portugueses no mundo (duas edições).

Criados em 1969, os Anais do Município tiveram como seu primeiro diretor e mentor José António Pinheiro e Rosa. Ao professor sucedeu o sociólogo e jornalista Libertário dos Santos Viegas, «que prosseguiu com determinação a publicação periódica deste título incontornável», relembra a autarquia.

Já em 2009, foi a vez do historiador e académico Joaquim Romero Magalhães assumir a direção, cargo que ocupou até ao dia da sua morte, em 24 de Dezembro de 2018, «deixando publicadas magníficas edições, entre as quais a XLI, comemorativa dos 50 anos dos Anais, em grande medida preparada por si».

«Com Guilherme d’Oliveira Martins, chega também a confirmação de que os destinos desta publicação de reconhecido mérito continuam, assim, em boas mãos e no caminho há muito traçado de preservação e afirmação da Cultura, do Património e da História de Faro e da sua Região», conclui a autarquia.

Comentários

pub
pub