Debate público sobre o abastecimento de água no Algarve vai começar

Estão já calendarizadas sessões em Tavira, Faro, Silves e Lagos, podendo ainda «realizar-se outras»

«Água e Sociedade» é o tema daquilo que a associação AlgFuturo apresenta como «o maior debate de sempre no Algarve sobre a problemática da água». A primeira sessão será na Biblioteca Municipal de Tavira, a 28 de Dezembro, o próximo sábado, às 15 horas.

O objetivo é «analisar a fundo a situação e identificar as soluções para os concelhos de Tavira, VRSA, Castro Marim e Alcoutim».

A AlgFuturo sublinha, em nota de imprensa, «que esta matéria vem sendo levantada desde há décadas, sem que, contudo, se tenha definido e executado um Plano consistente».

A iniciativa assenta no protocolo entre a Universidade do Algarve e a AlgFuturo, e «porque se está perante uma matéria transcendente, o debate vai ser absolutamente aberto a toda a população».

Estão já calendarizadas sessões em Tavira, Faro, Silves e Lagos, podendo ainda «realizar-se outras».

A metodologia passa por ir tirando «informações e conclusões intercalares, terminando o debate com um Encontro a realizar na UAlgno mês de Fevereiro, donde irão sair contributos para a definição de um Plano Hidrológico para o Algarve, com medidas imediatas e de médio e longo prazo». Pelo meio, a Comissão Organizadora irá reunir-se com as entidades públicas, nomeadamente deputados e serviços regionais, entre outros.

«O objetivo é garantir água para abastecer os residentes e para os diversos setores da economia. Para o efeito, estarão no centro do debate medidas para poupar água (em particular de combate às perdas) e identificação de todas as origens de água a que se possa recorrer, num quadro da prevista evolução dos consumos, face à diversificação do tecido produtivo, climatologia,povoamento humano e florestal, rede de esgotos e ETAR».

O debate em Tavira, além deste concelho, destina-se aos de Vila Real de Santo António, Castro Marim e Alcoutim. Além da Comissão Organizadora, foram convidados os presidentes de Câmara, outros autarcas, associações e público em geral, «por email, facebook,telefone, folhetos e tarjas», salienta a Algfuturo.

Comentários

pub
pub