Alunos trocam de lugar com políticos e vão apresentar propostas para salvar o planeta

Encontro pelo Planeta vai reunir na Universidade do Algarve 600 alunos de escolas secundárias da região

Foto: Rodrigo Damasceno|Sul Informação

600 alunos de 13 escolas secundárias do Algarve vão encontrar-se, na próxima segunda-feira, 16 de Dezembro, na Universidade do Algarve, onde vão apresentar ideias para proteger o ambiente e minimizar as alterações climáticas. Na plateia desde “Encontro pelo Planeta” estarão políticos e o objetivo, em 2020, é levar algumas das propostas até à Assembleia da República.

Luís Azevedo Rodrigues, diretor do Centro Ciência Viva de Lagos, que organiza a iniciativa, em parceria com a Universidade do Algarve, contou ao Sul Informação que «o que tínhamos previsto era lançar um desafio às escolas e alunos para pensarem propostas e ideias não só sobre as alterações climáticas, mas também sobre tudo aquilo que tem a ver com o ambiente, as questões da poluição e do património natural».

Essas ideias «podiam ser locais, regionais, para ser implementadas na escola, na cidade, ou na própria família. Depois, o objetivo era que fossem apresentadas, num encontro, em cinco minutos, não só aos colegas e professores mas, sobretudo, ao maior número possível de decisores políticos».

Para Luís Azevedo Rodrigues, é importante que «haja uma inversão de papéis. Os políticos estão normalmente lá em cima e falam “para baixo”. Com esta iniciativa pretendíamos que os alunos tivessem espaço e falassem para os políticos».

A ideia inicial era de fazer «algo pequeno», mas o projeto teve aceitação e este Encontro pelo Planeta assumiu proporções maiores.

«Pensámos que, se tivéssemos 100 alunos, já seria um sucesso. No entanto, o projeto cresceu tanto que, neste momento, temos cerca de 600 alunos de mais de 30 turmas, de nove concelhos do Algarve, a apresentar projetos e vamos ocupar dois auditórios da Universidade do Algarve», acrescenta Luís Azevedo Rodrigues.

Para a audiência foram convidados governantes, como o primeiro-ministro, ministros, autarcas e deputados. Para já, está confirmada a presença de alguns presidentes de Câmara e também de deputados eleitos pelo Algarve. Ainda assim, a ideia é que as propostas dos alunos cheguem à Assembleia da República.

«Vamos eleger as três melhores ideias para que esses trabalhos possam ser apresentados na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência, Juventude e Desporto, na Assembleia da República», revela o diretor do Centro Ciência Viva de Lagos.

Também personalidades públicas como Rodrigo Guedes de Carvalho, Joana Schenker ou António Zambujo já se associaram a esta causa, gravando vídeos de incentivo para os alunos.


«Pretendemos que esses vídeos sejam passados durante a apresentação dos trabalhos. Servem para que os miúdos se sintam incentivados a participar e como recompensa. Mas servem também, uma vez que não haverá lugar para a participação de público na iniciativa, para que as pessoas vejam este exemplo e depois acompanhem o resultado de algumas das ideias».

Apesar de os auditórios estarem esgotados, «a rebentar pelas costuras», o encontro «vai ser transmitido via streaming, para que o projeto não fique apenas dentro das paredes da Universidade», conclui Luís Azevedo Rodrigues.

O Encontro pelo Planeta realiza-se as 9h30 e as 18h00. A sessão de encerramento está agendada para as 17h00.

Esta iniciativa integra o projeto EcoScience, que é financiado pelo Orçamento Participativo de Portugal 2017 para a região do Algarve. O EcoSciente é coordenado pelo Centro Ciência Viva de Lagos, em parceria com o Centro de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Algarve, o Centro Ciência Viva do Algarve e Tavira, associados à Universidade do Algarve e à Associação A Rocha.

Este projeto foi criado e adaptado a partir de uma proposta ao Orçamento Participativo Portugal 2017, da autoria de de Dulcineia Fernandes, tendo o projeto do Centro Ciência Viva de Lagos, daí decorrente, sido o selecionado como entidade responsável para a sua execução.

Em complemento a este Encontro Pelo Planeta, o projeto EcoScience, por intermédio do Centro Ciência Viva de Lagos e de todos os seus parceiros, desenvolveu até ao momento 38 EcoDays, envolvendo 5434 alunos, dois Encontros Participativos, 11 Roteiros Científicos e três eventos de Ciência Sénior.

Comentários

pub
pub