Workshop do ciclo “Ecossistema de Inovação do Algarve” recebido com «vivaz entusiasmo»

Esta sessão foi organizada ao abrigo do projeto KCITAR, financiado pelo programa CRESC Algarve

Um evento recebido com «vivaz entusiasmo» e que teve «uma participação extremamente ativa e interventiva». Assim foi, na passada quinta-feira, 21 de Novembro, a primeira sessão do ciclo “Ecossistema de Inovação do Algarve”, dinamizado em conjunto pela Algarve Systems and Technology Partnership (Algarve STP), pela Universidade do Algarve e pela Algarve Evolution, os parceiros do Algarve Tech Hub. 

O workshop, que se realizou no NERA – Associação Empresarial do Algarve, foi dedicado à temática do Capital para o Crescimento. A entidade convidada foi a INDICO, Capital Partners, representada pelo sócio Ricardo Torgal.

A INDICO, conforme evidenciado pelo convidado, «tem investido em empresas localizadas um pouco por todo o território nacional, não se focando exclusivamente na área de Lisboa».

«As capitais de risco tendem a entrar numa fase nascente da atividade empresarial, desde logo com uma clara indicação de que permanecerão nas empresas que apoiam o tempo necessário para o seu crescimento e valorização, devendo assegurar depois, num período entre os 7 a 10 anos, a alienação das suas posições», explica a Algarve STP.

O orador afirmou ainda que, com base na sua experiência, as pessoas configuram o elemento primordial do sucesso de uma empresa, devendo agregar um conjunto de características especificas, como a ambição, a humildade para ouvir outras opiniões e a projeção pessoal como visibilidade do próprio projeto.

A INDICO – Capital Partners foi criada por dois experientes gestores da Caixa Capital, Stephan Morais e Ricardo Torgal, e por Cristina Fonseca co-fundadora da Talkdesk, uma das startups tecnológicas portuguesas mais relevantes.

 

 

Criada em 2017, a INDICO é a primeira capital de risco institucional e privada independente para investimento em empreendedorismo tecnológico de base nacional, tendo lançado o seu primeiro fundo em 2018.

Hoje conta com um capital de 50 milhões de euros, tendo investido já em cerca de 10 startups, como é o caso da Unbabel, Infraspeak e Barkyn em Portugal (ou com origem no nosso país), bem como a Tier Mobility (em Berlim, Alemanha). O investimento por startup situa-se entre os 150 mil e 5 milhões de euros, dependente do estado de maturidade.

Neste sentido, a INDICO procura como fatores diferenciadores de sucesso para os seus investimentos, o talento especial, os produtos ou serviços únicos, e os projetos que permitam configurar uma plataforma de crescimento.

O encontro contou ainda com a participação de empreendedores e empresários da região, designadamente de empresários estrangeiros a residir e a trabalhar atualmente no Algarve.

«O evento foi recebido com vivaz entusiamo pelos presentes, resultando numa participação extremamente ativa e interventiva. No final, a sessão permitiu identificar um conjunto de pontos, que serão um suporte para um documento que traduzirá as principais linhas de entendimento sobre as necessidades de capital de risco na região», diz a organização.

O próximo workshop encontra-se previsto para o dia 23 de Janeiro, em Faro, dedicado ao tema: “Sistemas tecnológicos inteligentes”.

Esta sessão foi organizada ao abrigo do projeto KCITAR, financiado pelo programa CRESC Algarve.

A Associação ASTP é uma associação privada sem fim lucrativos, que agrega associados públicos e privados.

No presente, a Algarve STP conta com os seguintes associados: Universidade do Algarve, ANJE, Câmara Municipal de Faro, Câmara Municipal de Loulé, Câmara Municipal de Portimão, DOCAPESCA, e Associação Algarve Evolution, estando previstas, para breve, novas adesões.

Comentários

pub
pub