Alunos de Estoi descobrem provérbios dos povos que Magalhães conheceu

Projeto culmina com apresentação nas Ruínas Romanas de Milreu

As Ruínas Romanas de Milreu vão acolher os alunos do 6º ano da Escola EB 2,3 Poeta Emiliano da Costa, de Estoi (Faro), para a apresentação do seu trabalho coletivo dedicado às viagens de Fernão de Magalhães.

Este projeto tem vindo a ser dinamizado, desde o início do ano letivo, pela Associação Internacional de Paremiologia, em conjunto com a Biblioteca Escolar e a disciplina de educação visual e tecnológica da Escola de Estoi.

O objetivo é celebrar o Ano Internacional das Línguas Indígenas e a viagem de circum-navegação do explorador Fernão de Magalhães, no século XVI, tema que, aliás, este ano é o mote da programação do DiVaM.

Aos alunos, propôs-se recriar a expedição, na qual os navegadores puderam contactar com diferentes culturas em lugares como São Tomé, Cabo Verde, Timor e Indonésia, através da exploração dos provérbios destes povos. Será agora construído um mural coletivo que retrate o seu olhar sobre a viagem.

A atividade “Viajando por Terras Distantes: um outro olhar sobre o universo patrimonial”, realiza-se no âmbito do programa DiVaM – Divulgação e Valorização dos Monumentos, promovido pela Direção Regional de Cultura do Algarve.

 

«Un fijo run tâ danâ ôto» – Um figo mau destrói os outros
(Provérbio de Cabo Verde)

 

 

Comentários

pub
pub