Utentes oferecem equipamento para reeducar a mão ao Hospital de Faro

Equipamento custou «largas centenas de euros»

Utentes do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) vão oferecer um equipamento ao Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital de Faro, para ser usado em terapias de reeducação da mão.

A aquisição desta ferramenta resulta da «boa vontade de alguns utentes deste serviço e dos profissionais do setor», que fizeram uma coleta e angariaram «as largas centenas de euros» necessárias para a comprar, segundo Bruno Gabriel, um dos beneficiários deste «equipamento inovador».

Este utente do Serviço Medicina Física e Reabilitação, que desde Maio está a fazer tratamentos diários  a um dedo partido, disse ter ficado sensibilizado com o gesto e decidiu divulgá-lo publicamente.

Contactada pelo Sul Informação, Helena Gomes, diretora deste serviço do Hospital de Faro, falou num «gesto bonito» dos utentes e explicou que o equipamento em causa «é um conceito teórico da escola canadiana de reabilitação, que a Europa está a adotar».

«Nós tivemos aqui um empréstimo desse equipamento, para teste. E os utentes que o testaram gostaram muito e tomaram a iniciativa de ajudar a adquiri-lo», revelou.

Todo o processo foi tratado pelos utentes, entre os quais Bruno Gabriel, por iniciativa própria, de «forma altruísta e voluntária».

«Nós, até ao momento, ainda não falámos com o Conselho de Administração do CHUA, no sentido de o comprar, pois não faria sentido fazê-lo antes de terminarmos a avaliação e os testes, que ainda continuam», disse Helena Gomes.

Ainda assim, a mesma responsável admite que a decisão seria, «em princípio», ficar com o equipamento.

 

 

A diretora de serviço do CHUA acrescentou não saber se os utentes já conseguiram angariar o dinheiro necessário para adquirir a ferramenta terapêutica, cujo preço «não é muito elevado», mas que isso não será impedimento à sua aquisição.

«Se o dinheiro for suficiente, não será feito qualquer pedido ao Conselho de Administração. Caso contrário, o hospital garantirá a verba necessária», acredita.

Já Bruno Gabriel, que lançou a ideia de fazer uma coleta, aceite de imediato pelos outros utentes, explicou ao Sul Informação que a ideia foi garantir que o equipamento continua ao serviço dos utentes, de forma definitiva, sem ter de depender de um sempre moroso processo de contratação pública.

O equipamento  em causa, denominado de “Mobilização Analítica Progressiva e Sequenciada”, permite aplicar «um método de tratamento para a reeducação da mão e extremidade superior que usa a mecanoterapia para facilitar a mobilização», segundo este utente.

Esta ferramenta é usada na reeducação da mão em casos de lesões traumáticas da mão, rigidez, lesões nervosas e incapacidades funcionais, «utilizando sequências de exercícios, cuja intensidade tem vários níveis, podendo ser ajustados progressivamente durante o tratamento».

«É um equipamento inovador, não do ponto de vista tecnológico, mas sim da monitorização e avaliação. Com ele podemos medir a evolução do utente, semanalmente ou quinzenalmente. Com os outros equipamentos que temos é difícil, são mais subjetivos e obrigam a muito mais interpretação», explicou, por seu lado, Helena Gomes.

A Terapia da Mão é uma valência específica da Terapia Ocupacional, inserida no Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do CHUA, em Faro, «que pela dinâmica e conhecimento dos profissionais, é um serviço de referência, com o apoio da Direção Clínica deste serviço e Conselho de Administração do CHUA».

«Uma percentagem significativa dos utentes encaminhados para a Terapia Ocupacional beneficia da abordagem na área da terapia da mão», conclui Bruno Gabriel.

 

Fotos: Bruno Gabriel

Comentários

pub
pub