LUZA muda-se para Faro e aposta forte na arte interativa

Festival Internacional de Luz trará artistas de 12 países a Faro

Instalação Keys of Light – Mr. Beam – Foto LUZA

Mais interatividade, muita luz, DJ internacionais e, até, um ator do Game of Thrones. Tudo isto e ainda mais vão caber na programação de mais um LUZA – Algarve International Festival of Light, que vai decorrer de 14 a 16 de Novembro, desta feita, em Faro.

Depois de ter decorrido dois anos em Loulé, o evento muda-se para a vizinha Faro, com o objetivo de ganhar escala e para aproveitar as dinâmicas próprias da capital de distrito e de uma cidade que alberga muitos serviços e uma universidade.

A edição de 2019 do LUZA foi apresentada ontem, dia 29, na Fábrica da Cerveja, na Vila-Adentro de Faro, que será o ponto nevrálgico deste evento, que se irá espalhar por diversos pontos do centro histórico farense.

E Beau McClellan, artista escocês há muito radicado no Algarve e que é o grande impulsionador do festival, sabe bem ao que vem.

«A grande novidade, este ano, é uma maior aposta na interatividade. Vamos puxar muito por aí», avisou, numa conversa com os jornalistas, à margem da apresentação do LUZA.

 

Beau McClellan

 

«Nas primeiras duas edições, fizemos algumas coisas interativas e notámos que havia muita gente que gostava de fazer parte da arte. Todos nós temos qualquer coisa de artista. E, quando facilitamos esta ligação, as pessoas aproveitam», enquadrou.

Esta interação, além de promover um contacto direto do público com as instalações de luz e uma participação destes no processo de criação artística, também fomenta o convívio, já que algumas das atividades são colaborativas, algo que «é fundamental para deitar abaixo as barreiras».

«Vamos fazer coisas incríveis, nomeadamente aqui na Fábrica da Cerveja», prometeu o responsável pela ByBeau Studio, que organiza o evento em parceria com a Eventors’ Lab e com apoio da Câmara de Faro e do “365Algarve”.

Com a mudança para Faro, também houve «um aumento de escala». Por outro lado, os organizadores do evento, vão, finalmente conseguir ter After Parties com DJ internacionais «algo que não foi possível em Loulé. Tendo em conta que a minha vida, no passado, esteve muito ligada à música, esta união entre o som e a luz é algo que considero fundamental».

Apesar disso, como seria de esperar, o grande enfoque do festival continuam a ser as instalações de luz, que serão trazidas até Faro por 17 conceituados artistas de 12 países. Além de Beau McClellan, o festival contará com artistas como Kim von Coels, Tom Dekyvere, LedControl, Raquel Fradique e Mr. Beam, entre muitos outros. A lista completa de instalações pode ser consultada aqui.

Haverá, igualmente, espaço para os novos valores, com a exposição de peças de jovens artistas que apresentaram propostas no âmbito do LuzaLab. Do programa, constam ainda workshops para todas as idades (ver programa completo abaixo ou aqui).

 

Da esquerda para a direita: Paulo Santos, Rogério Bacalhau, Ana Fernandes, Anabela Afonso e Beau McClellan

 

A organização salienta, ainda, a presença da organização internacional Women in Lighting com o projeto, “Guerrilla Lighting”. Elementos desta organização de mulheres designers de luz vão participar em mais uma conferência “Working with light”, ao lado de Mark Killeen, ator que teve uma breve passagem na série de culto Game of Thrones, de James Klinge, «um dos mais conceituados street artists da Escócia», e de Bruno Inácio, da candidatura da Câmara de Faro a capital europeia da cultura.

Quanto à mudança de Loulé, cidade onde Beau MccClellan mantém o seu estúdio, para Faro, foi uma questão de estratégia. «Eu adoro Loulé, ocupa um lugar especial no meu coração. Foi muito bom para os dois primeiros anos. Mas quisemos aproveitar a oportunidade de fazer o evento numa cidade como Faro, com mais público, mais gente, e projetar o festival», disse o artista escocês radicado no Algarve.

«Neste momento, Faro é uma cidade muito acesa, que tem elementos arquitetónicos incríveis. Lisboa e Porto estão acesas, Faro vem depois. Abre-nos grandes oportunidades», explicou.

A questão do património «é muito importante, não só por [os edifícios] serem telas em branco. Nós pensamos, à partida, qual o artista que funcionará melhor nos diferentes espaços escolhidos para a realização do festival. Não se trata de atribuir um espaço qualquer aos artistas. Nós encontrámos artistas específicos para cada elemento patrimonial».

Por outro lado, em Faro «temos sempre movimento de pessoas, mesmo quando não se passa nada. Em Loulé, nos dias em que estávamos a fazer a instalação das peças, não se via ninguém. No fim-de-semana do evento, passaram por lá 30 mil pessoas. Aqui em Faro, já há esta quantidade de gente. Só precisamos de trazer este público para o pé das nossas instalações».

«Em Loulé, a questão é que é sempre necessário trazer muita gente de fora. E funciona, foi excelente. Mas, em Faro, nós não precisamos de nos focar tanto nesse aspeto, porque as pessoas já cá estão», reforçou Beau McClellan.

Faro, através do seu presidente da Câmara Rogério Bacalhau, agradece «a possibilidade de ter este projeto», onde se aliará «a beleza da luz à nossa vivência e ao nosso património». Já Anabela Afonso, comissária do “365Algarve”, apontou o LUZA como sendo um bom exemplo do que são os objetivos do programa que gere, de animação cultural da região na época baixa do turismo, uma vez que provou que, «através da cultura, os territórios podem ser atrativos», mesmo quando não há sol e praia.

 

Anabela Afonso e Beau MccClellan

 

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

 

Programa

14 de Novembro

– 18h30 Abertura Oficial do LUZA na Doca de Faro
– 19h30/21h00/22h30 “Light Sound” LUZALAB – Raquel Fradique, na Fábrica da Cerveja
– 20h30 “Apresentação às Estrelas” – um projeto do Centro Ciência Viva do Algarve (com entrada paga)
– 00h00 Encerramento do 1º dia do LUZA

 

15 de Novembro

– 16h00 – 17h00 LUZA kids – Workshop Criação de Hologramas by Museu Zer0, na Fábrica da Cerveja
(Nota: workshop para crianças até aos 12 anos inclusive, com limite de participação de 20 pessoas, que terão de se inscrever previamente através do info@luzafestival.com)
– 18h30 Abertura do 2º dia LUZA
– 18h30 – 21h00 Workshop para explicação do conceito Guerrilla, preparação e ensaios – Ponto de Encontro na Fábrica da Cerveja / Guerrilla Lighting – Local: Rua António Maria Laboia
(Nota: o workshop tem um limite de 40 pessoas, que terão de se inscrever previamente através de info@luzafestival.com)
– 19h30/21h00/22h30 “Light Sound” LUZALAB – Raquel Fradique na Fábrica da Cerveja
– 00h00 Encerramento do 2º dia do LUZA Festival
– 23h00 – 4h00 After Party _ DJ A Elliott with Guests na Fábrica da Cerveja (com entradas pagas)

 

16 de Novembro

– 10h30 – 12h30 “Desenhos de Luz” – um projeto do Centro Ciência Viva do Algarve (com entrada paga)
– 15h30 – 17h30 Conferência “Working With light” na Fábrica da Cerveja
– 16h00 – 17h00 LUZA kids _ Workshop Criação de Hologramas by Museu Zer0 na Fábrica da Cerveja
(Nota: workshop para crianças até aos 12 anos inclusive, com limite de participação de 20 pessoas, que terão de se inscrever previamente através do info@luzafestival.com)
– 18h30 Abertura 3º dia LUZA
– 19h00 – 21h00 Workshop “Introdução à arte Light Painting Photography”, Ponto de encontro: Hotel Faro
(Nota: o workshop tem um limite de 20 pessoas, que terão de se inscrever previamente através do info@luzafestival.com)
– 19h30/21h00/22h30 “Light Sound” LUZALAB – Raquel Fradique na Fábrica da Cerveja
– 21h30 – 00h00 Pixsom by ARCMúsicos na Fábrica da Cerveja
– 00h00 Encerramento do LUZA Festival
– 23h00 – 4h00 After Party _ DJ A Elliott with Guests na Fábrica da Cerveja (com entradas pagas)

Comentários

pub