Balanço em São Brás: já há obra feita e mais a caminho

Executivo PS da Câmara de São Brás de Alportel fez o balanço dos dois primeiros anos do atual mandato

Foto: Hugo Rodrigues|Sul Informação

Um novo Terminal Rodoviário cujas obras devem começar «dentro de duas semanas» e dois anos de investimento na requalificação e manutenção do parque escolar e dos equipamentos desportivos de São Brás de Alportel, entre outros.

Estes são alguns dos fatores que levam o executivo são-brasense a fazer «um balanço extremamente positivo» da primeira metade do atual mandato autárquico, numa sessão que teve lugar ontem, quinta-feira, no miradouro do Alto da Arroteia.

A equipa liderada pelo presidente da Câmara Vítor Guerreiro escolheu este lugar emblemático, onde se têm uma vista privilegiada sobre a vila e boa parte do concelho, para dar conta do que tem vindo a fazer, mas também daquilo que está na calha, no balanço dos dois primeiros anos de mandato.

E o que está quase aí são as há muito anunciadas obras de construção de um novo Terminal Rodoviário em São Brás de Alportel, intervenção que já foi adjudicada e «espera apenas pelo visto do Tribunal de Contas. Esperamos que comece dentro de duas semanas», revelou Vítor Guerreiro.

Esta intervenção, admitiu o edil são-brasense, «demorou um pouco mais do que o esperado, porque percebemos que seria possível ter a comparticipação de fundos comunitários». Desta foram, metade do quase meio milhão de euros necessário para realizar a obra virá da União Europeia.

Aproveitar ao máximo as oportunidades de co-financiamento tem sido, de resto, uma das imagens de marca do executivo PS da Câmara de São Brás de Alportel.

«Não nadamos em dinheiro e temos de fazer uma gestão rigorosa e equilibrada. Fazemos sempre que possível obras com recurso a fundos da União Europeia», resumiu o autraca são-brasense.

 

 

Do que foi o mandato até aqui, Vítor Guerreiro salientou a aposta feita na educação e nos equipamentos desportivos.

No primeiro caso, foi aberta «uma sala de pré-escolar e outra do primeiro ciclo», para responder ao aumento das solicitações, tendo em conta que São Brás continua a ter uma boa taxa de nascimentos anuais – «80 a 100» – para um pequeno concelho serrano.

Também foram realizadas obras de manutenção nas escolas do 1º ciclo de Mesquita e de Vilarinhos e construída uma nova portaria na EB1 nº1 de São Brás de Alportel, entre outros investimentos. Na escola nº1, também se procedeu à retirada das telhas de fibrocimento e à colocação de painéis solares fotovoltaicos na cobertura, intervenção que será repetida no próximo Verão na EB1 nº2.

A obra neste estabelecimento de ensino só não decorreu mais cedo porque o empreiteiro que ganhou o concurso desistiu e não foi possível encontrar substituto em tempo útil.

«No tempo da crise, como nós somos uma Câmara que paga certo e em pouco tempo, era fácil conseguir quem fizesse obras em São Brás. Hoje em dia, é difícil arranjar e está mais caro», ilustrou Vítor Guerreiro.

Isto tem levado a que algumas obras se atrasem, por os concursos ficarem desertos, o que obriga a Câmara a relançá-los, com mais verba associada.

 

 

Outra área em que a Câmara de São Brás de Alportel apostou foi na renovação e manutenção dos equipamentos desportivos. Neste campo, a obra de maior monta foi a requalificação das piscinas municipais descobertas, mas também foram realizadas outras intervenções, nomeadamente melhorias no pavilhão muniicpal, no polidesportivo e noutros equipamentos.

No fundo, trata-se de manter aquilo que já existe, para evitar ter de construir infraestruturas novas. «Já temos os equipamentos principais. Agora, há que cuidar deles», ilustrou Acácio Martins, vereador com os pelouro do desporto e do urbanismo.

O presidente da Câmara de São Brás de Alportel destacou, ainda, a área da ação social, nomeadamente a criação de «uma casa para emergência social, a ser usada em situações em que tenha de ser dada uma resposta rápida».

Ainda neste campo, Marlene Guerreiro, vice-presidente da autarquia, destacou o forte envolvimento das entidades do concelho e da comunidade na ajuda ao próximo.

«Têm-se vindo a somar várias iniciativas de instituições, mas também de particulares. Por exemplo, há um grupo de cidadãos de várias nacionalidades, o Helping Hands, que se mobilizaram para ajudar na aquisição de próteses e de outro material, principalmente para crianças», ilustrou a vereadora.

A renovação do centro histórico, que «está todo requalificado ou em vias de o ser», o Balcão para a Inclusão criado este ano e a melhoria do sistema de abastecimento de água, para reduzir perdas e gastos desnecessários foram outras das medidas salientadas neste balanço.

David Gonçalves, vereador com o pelouro do bem-estar animal, destacou o trabalho feito nesta área. «Fomos o primeiro concelho a aderir ao cheque veterinário e investimos, nos últimos anos, quase 10 mil euros na esterilização de animais errantes. É uma despesa acrescida que temos, mas demonstra bem o nosso empenho em resolver este problema».

Comentários

pub
pub