270 quilos de bivalves apreendidos na Culatra e em Quarteira

GNR alerta para o facto de a «ingestão de bivalves contaminados poder causar graves problemas de saúde»

270 quilos de bivalves, com o valor estimado de 1280 euros, foram apreendidos esta quarta-feira, 16 de Outubro, pela Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR, na Ilha da Culatra (Faro) e Quarteira. 

Na Culatra, os militares, no âmbito de uma ação de vigilância e patrulhamento, detetaram 224 quilos de conquilha capturada numa zona proibida.

Na sequência da ação foram identificados dois homens de 46 e 48 anos, e elaborado os respetivos autos de contraordenação, com uma multa que pode ir até 37.500 euros.

Na mesma manhã, na localidade de Quarteira, os militares apreenderam 17 quilos de conquilha, 13 quilos de mexilhão, 7 quilos de ostra, 5 quilos de ameijoa japónica e 4 quilos de berbigão, por terem sido colocados no mercado de retalho, para venda a granel, sem terem passado por um centro de expedição.

Neste caso, também foram identificados dois homens, mas de 30 e 32 anos, tendo sido elaborado o respetivo auto de contraordenação, punível com coima até 25 000 euros. Os bivalves por se encontrarem vivos, foram devolvidos ao habitat natural.

Em comunicado, a GNR alerta para o facto de a «ingestão de bivalves contaminados poder causar graves problemas de saúde».

«As interdições de captura dos moluscos bivalves, equinodermes, tunicados e gastrópodes marinhos vivos, aplicam-se ao público em geral, assim como aos mariscadores profissionais e amadores, independentemente do processo de captura. Os moluscos bivalves vivos só podem ser colocados no mercado para venda a retalho por intermédio dos centros de expedição, onde é aplicada uma marca de identificação», relembra.

Comentários

pub
pub