Seminário em Faro discute Economia Circular na construção civil

Esta iniciativa quer apresentar boas práticas em matéria de gestão de Resíduos de Construção e Demolição

Créditos: Depositphotos

“A Circularidade no Setor da Construção” é o tema de um seminário a realizar-se no dia 10 de Setembro, a partir das 10h00, na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, em Faro.

Esta iniciativa quer apresentar boas práticas em matéria de gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD), com o objetivo de melhorar a gestão desta tipologia de resíduos, bem como discutir a circularidade possível no setor da construção.

Neste âmbito vai ser debatida a «implementação de um modelo de Economia Circular no setor da construção, que previna a produção de RCD e incentive a sua valorização, contribuindo para o fecho do ciclo dos materiais», diz a Agência Portuguesa de Ambiente.

«O setor da construção civil é responsável por uma parte muito significativa dos resíduos produzidos em Portugal, situação comum à generalidade dos demais estados-membros da União Europeia em que se estima uma produção anual global de 100 milhões de toneladas de resíduos de construção e demolição (RCD)», acrescenta.

Além das grandes quantidades que lhe estão associadas, «estes resíduos apresentam outras particularidades que dificultam a sua gestão, de entre as quais se destacam a sua constituição heterogénea com frações de dimensões variadas e os diferentes níveis de perigosidade de que são constituídos».

A atividade da construção civil apresenta, em si própria, também algumas especificidades, tal como o carácter geograficamente disperso e temporário das obras, que dificultam o controlo e a fiscalização do desempenho ambiental das empresas do sector.

A difícil quantificação, a deposição não controlada e o recurso a sistemas apoiados em tratamentos de fim de linha que ainda se verificam, consubstanciam constrangimentos inerentes à gestão deste fluxo que se intensificam face às características referidas.

«Estas práticas, conducentes a situações ambientalmente indesejáveis e incompatíveis com os objetivos nacionais e comunitários em matéria de desempenho ambiental, determinaram a necessidade de proceder a um disgnóstico da situação sobretudo ao nível da gestão efetuada nas obras particulares sob a responsabilidade municipal. Para o efeito foram elaborados inquéritos às Câmaras Municipais e efetuados seminários regionais para discussão conjunta dos obstáculos e condicionantes identificados pelos municípios».

Ponderados os resultados obtidos, a APA diz que «importa divulgar um conjunto de boas práticas e analisar eventuais soluções a implementar para melhorar esta gestão».

Para ver o programa e se inscrever no seminário, clique aqui. 

Comentários

pub
pub