PSD saúda com «moderada satisfação» manutenção da base da Ryanair em Faro

Social-democratas lamentam que, apesar de a base não fechar, se percam postos de trabalho

Foto: Fabiana Saboya|Sul Informação

O PSD de Faro afirmou a sua «moderada satisfação» pela anunciada decisão da Ryanair de não fechar a base operacional que mantém há anos no Aeroporto de Faro, mas lamenta que a solução encontrada implique o despedimento de trabalhadores.

A transportadora aérea low cost anunciou ontem que chegou a acordo com a Ana Aeroportos e que irá manter a sua base em Faro no próximo Inverno, ainda que com apenas dois aviões, em vez dos três que costumava manter no Algarve.

Esta redução do número de aeronaves implicará, avisou a empresa, uma redução significativa do número de trabalhadores afetos à operação em Faro já a partir de Janeiro. Ainda assim, a Ryanair conta manter «pelo menos metade dos postos de trabalho», que são, atualmente, 100.

«O PSD lastima que a solução encontrada, que compreende a redução de três para dois aviões na base, conduza a uma diminuição de diversos postos de trabalho no pessoal de cabine contratado, o que gerará dificuldades para muitas famílias», dizem os social-democratas.

Ainda assim, o PSD farense saúda a decisão da companhia aérea irlandesa e felicita todos os intervenientes na negociação, «em particular os sindicatos, a administração do Aeroporto, as associações do setor do turismo e hoteleiro e os autarcas algarvios», salientando o papel do presidente da Câmara de Faro, o social-democrata Rogério Bacalhau, «que foi a face mais visível da apreensão das comunidades».

Também envolvidos na negociação estiveram a Região de Turismo do Algarve (RTA) e o Turismo de Portugal. Em declarações ao Sul Informação, João Fernandes, presidente da RTA, confirmou que as negociações «correram conforme o esperado e as coisas estão bem encaminhadas».

De caminho, a comissão política de Faro do principal partido da oposição lamenta que «nada tenha feito para encontrar mecanismos que permitam diminuir o grau de exposição que as regiões mais turísticas, como o Algarve, têm em relação ao Brexit e à instabilidade que esse processo está já a causar no mercado britânico».

Já João Fernandes salientou ser «do domínio público que a senhora secretária de Estado do Turismo se empenhou pessoalmente na resolução da questão da base da Ryanair em Faro».

O PSD de Faro conclui que «o Estado deve, por uma vez, atender aos interesses da nossa região, dos seus empreendedores e de quem cá trabalha, e inscrevê-los na sua agenda, coisa que manifestamente não fez na legislatura finda».

Comentários

pub
pub