Providência cautelar atrasa obras do novo campismo da Praia de Faro

Rogério Bacalhau revelou ao Sul Informação que a Câmara foi notificada ontem e que «será difícil» começar a obra na terça-feira

As obras de construção de um novo Parque de Campismo na Praia de Faro já não deverão começar no dia 1 de Outubro, como estava previsto, devido à Providência Cautelar que foi apresentada pela Associação de Utentes e Amigos do Parque de Campismo da Praia de Faro (AUAPCPF).

Em declarações ao Sul Informação, o presidente da Câmara de Faro Rogério Bacalhau revelou que recebeu a notificação do tribunal ontem, quinta-feira, e que, «provavelmente, será difícil começar no dia 1 de Outubro», a próxima terça-feira.

«A notificação da Providência Cautelar foi entregue na Câmara hoje [ontem, dia 26], mas ainda não a vi, porque estive fora. Ainda terei de ver os prazos, mas, provavelmente, será difícil começar no dia 1 de Outubro, pois agora teremos um período para apresentar as nossas alegações e, mais tarde, haverá uma decisão. Pelo que sei, deu entrada no tribunal na quinta-feira da semana passada», disse o edil farense.

 

Rogério Bacalhau

 

A ação em tribunal foi interposta pela AUAPCPF, que se recusa a sair do espaço porque, alegadamente, a Câmara de Faro não criou as condições necessárias para o efeito.

Isto apesar de o contrato de comodato que enquadrava a permanência dos atuais utilizadores no parque ter sido denunciado há mais de um ano e ter sido dado um prazo bem acima do que é exigido por lei para que os utentes retirassem os seus pertences.

Este tempo foi insuficiente, dizem os dirigentes da associação, porque alegam que há casos sociais de pessoas que ficarão desalojadas por resolver e que há autocaravanas que não podem sair da Praia, por não caberem na ponte.

Já a Câmara de Faro, garantiu, na sequência do anúncio feito pelos utentes de que não iriam sair e iam para tribunal, que não alterava «um milímetro» a sua decisão de despejar os atuais utilizadores e de construir um novo parque de campismo.

Entretanto, garantiu Rogério Bacalhau, há utentes que se afastaram da posição da associação e vão sair do espaço até final de Setembro.

«Ontem, chegou-me uma carta de um utente a dizer que já tinha tirado tudo, que tinha saído da associação e que já não tinha nada a ver com aquilo. No fim-de-semana também me encontrei com vários utentes que me dizem que vão sair», assegurou o presidente da Câmara de Faro.

Comentários

pub
pub