Projeto da ponte da Praia de Faro vai ser reformulado para atrair empreiteiros

Câmara de Faro quer lançar novo concurso em Outubro

O projeto da Ponte da Praia de Faro vai ser reformulado, para que os empreiteiros aceitem o valor de 3,5 milhões de euros para executar a obra. O concurso, lançado em Dezembro do ano passado, voltou a ficar deserto e a solução encontrada passa por reformular o projeto, para reduzir o custo de construção da ponte.

Rogério Bacalhau, presidente da Câmara de Faro, adiantou ao Sul Informação que «estamos neste momento a reformular o projeto e a reformular o caderno de encargos. Vamos ver se, em Outubro, lançaremos novo concurso».

Segundo apurou o nosso jornal, só a construção dos pilares projetados inicialmente pode custar cerca de um milhão de euros, o que aumenta o valor da obra.

Tendo em conta que, quando foi lançado o último concurso, também no valor de 3,5 milhões de euros, a Câmara de Faro já tinha disponibilizado cerca de um milhão de euros extra, para uma obra que é da responsabilidade da Sociedade Polis Ria Formosa, a solução encontrada passa mesmo por refazer o projeto, para atrair empreiteiros.

O autarca explicou que se tratam de «pequenas alterações no projeto, algumas afinações. Os projetistas estão a fazer isso e vamos ver se a Sociedade Polis tem condições. Já tivemos reuniões, a ver se temos tudo pronto para, o mais tardar, em Outubro, lançarmos o novo concurso».

Segundo Rogério Bacalhau, «este tipo de concurso pode levar 6/7 meses. É um concurso público, que tem que ter visto do Tribunal de Contas, portanto leva algum tempo. Mas o essencial é lançar o concurso e, a partir daí, é deixar correr as coisas».

O edil de Faro lembra que «esta é uma história que começou, salvo erro, em 2008, com a decisão de fazer o projeto. Foram feitos todos os estudos, depois houve falta de dinheiro, que foi resolvida. Já lançámos dois concursos que ficaram desertos. Esta é uma obra com alguma complexidade e, portanto, gostava que esta fosse a última etapa burocrática antes da construção da ponte», concluiu.

Comentários

pub
pub