Olhão dá mais um passo para construção de Centro de Recolha de Animais

Câmara quer lançar concurso para a obra no primeiro semestre de 2020

A Câmara de Olhão adjudicou a elaboração do projeto de especialidades do futuro Centro de Recolha de Animais do concelho de Olhão, «um equipamento fundamental para o bem-estar animal no concelho».

A autarquia olhanense espera que esta fase seja concluída até final do ano, «para que, ainda no primeiro trimestre de 2020, seja lançado concurso para a construção».

«O novo canil e gatil municipal será um equipamento de referência a nível nacional, dotado de condições condignas, quer para os animais residentes, quer para os funcionários, quer para os potenciais adotantes», assegurou a Câmara de Olhão.

A infraestrutura será implantada num lote de terreno municipal com uma área de perto de 8 mil metros quadrados (m2), localizado no Sítio da Alecrineira, na freguesia de Quelfes, com uma área de construção prevista de mais de 2 mil m2.

O edifício principal será dedicado aos serviços e «inclui zona administrativa, gabinete médico-veterinário, enfermaria, farmácia, sala de cirurgia e sala de recobro».

Os animais ficarão acolhidos em três edifícios de alojamento para cães, com capacidade para 150 animais, e um de alojamento para gatos, com capacidade para 32.

Haverá mais dois edifícios, um destinado a armazenamento e o outro a zonas separadas de adoção de canídeos e felídeos, bem como a uma sala de banhos e tosquias.

«O Centro de Recolha Oficial de Animais de Olhão ficará completo com uma área de alojamento de espécies pecuárias», acrescentou a autarquia olhanense.

 

 

A Câmara de Olhão salientou, ainda, que «apesar das limitações que o atual Centro de Recolha apresenta, continuam a ser desenvolvidas inúmeras ações em prol do bem-estar dos animais, em parceria e ao abrigo dos protocolos de colaboração estabelecidos com outras entidades de proteção animal, nomeadamente a esterilização de felinos de colónias».

No que a esterilizações diz respeito, «foram intervencionados, desde o início do ano, cerca de 70 canídeos e 170 felinos, machos e fêmeas, o que foi possível graças à nova sala de cirurgia do canil, a funcionar desde Agosto, e ao protocolo com um Centro de Atendimento Veterinário, este último visando a esterilização de cadelas alojadas no canil».

Este protocolo «será brevemente alargado aos felinos errantes, de forma a dar uma resposta ainda mais eficaz às necessidades».

Para além disso, «e consciente da importância da esterilização em massa dos animais errantes, o município submeteu, também, uma candidatura a apoios financeiros para esterilizações de cães e gatos».

Outra vertente do trabalho feito pelo município em prol do bem-estar animal é o incentivo à adoção, tendo sido encaminhados para novos lares 64 animais, até início de Setembro.

«Num futuro próximo, ficará, igualmente, concluída a transformação de um veículo para transporte de animais de companhia, para funcionamento no canil municipal, bem como a alocação de abrigos para felinos em locais estratégicos do concelho onde existam colónias e o atendimento de animais errantes feridos, em parceria com um hospital veterinário da região», concluiu a Câmara.

Comentários

pub
pub