Hospital nega cancelamento de cirurgias oncológicas por avaria do ar condicionado

Situação foi denunciada por Cristóvão Norte

O Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) negou hoje o cancelamento de cirurgias oncológicas «urgentes ou emergentes» devido a avarias no ar condicionado do Bloco Central do Hospital de Faro. A situação tinha sido denunciada, esta terça-feira, 3 de Setembro, por Cristóvão Norte, deputado algarvio do PSD. 

Ao Sul Informação, o Conselho de Administração do CHUA confirmou a avaria no sistema de ar condicionado, mas garantiu que «as cirurgias urgentes e emergentes foram realizadas através do apoio das duas salas operatórias instaladas no Bloco de Cirurgia de Ambulatório e em duas salas do Bloco Operatório Central».

O Conselho de Administração afirmou ainda que «foram realizadas cirurgias oncológicas e outras de carácter prioritário e programado», admitindo que as «outras cirurgias, de carácter não urgente e passíveis de realização noutra data, foram reagendadas».

O deputado social-democrata Cristóvão Norte, no comunicado enviado às redações, apresentava uma versão diferente, dizendo que o encerramento do Bloco Central tinha obrigado ao adiamento de «mais de uma centena de cirurgias», incluindo de doentes oncológicos.

O CHUA, na resposta enviada às questões colocadas pelo Sul Informação, anunciou também que o novo equipamento de ar condicionado vai ser entregue ainda hoje, 3 de Setembro, e que já funciona, parcialmente, desde quinta-feira.

 

 

No seu comunicado, o deputado social-democrata acusava ainda o Governo de «nada fazer», nem se comover com «a gravidade dos acontecimentos». «O que se está a passar causa grande alarme social, desesperam médicos e utentes, e este é o resultado da declaração de guerra ao investimento», acrescentou Cristóvão Norte.

«Em 2016, o Governo anunciou um pacote de 19 milhões para o CHUA e aplicou 6, não realizando a substituição de equipamentos de diagnóstico, nem também a manutenção de equipamentos de apoio, como este que se avariou agora e faz parar a cirurgia. Nunca se registou tão pouco investimento na saúde no Algarve», reforçou o parlamentar algarvio do PSD.

Em resposta, o Centro Hospitalar Universitário do Algarve afirma lamentar «que o senhor deputado não tenha questionado previamente o Conselho de Administração, no sentido de se inteirar e informar sobre toda a situação, antes de proceder ao envio de um comunicado com informações que não correspondem à verdade dos factos».

Comentários

pub
pub