Executivo de São Brás visitou creches antes do início do ano letivo

Câmara Municipal diz estar «atenta à crescente necessidade sentida por muitas famílias que necessitam de unidades de apoio à infância»

O executivo municipal de São Brás de Alportel visitou as creches do concelho, antes do início do ano letivo. 

Vítor Guerreiro, presidente da Câmara, esteve acompanhado de Marlene Guerreiro, vice-presidente.

O roteiro começou com uma visita ao Centro Infantil António Calçada da Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel, que abriu portas à comunidade em 1982, e que atualmente disponibiliza à comunidade quatro respostas sociais na área da infância e juventude, nomeadamente uma Creche (com capacidade para 58 crianças), um Jardim-de-Infância/Pré-Escolar (que acolhe 75 crianças), um Centro de Atividades de Tempos Livres (que acolhe 60 crianças) e um Centro Jovem (que acolhe 60 jovens).

 

 

Seguiu-se a visita à Creche Sítio do Bebé do Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia de São Brás de Alportel, a mais recente instituição particular de solidariedade social do concelho, que disponibiliza à comunidade são-brasense desde 2010 esta Creche que acolhe 84 crianças.

«Esta iniciativa teve por objetivo valorizar o trabalho de tão relevante importância que é desenvolvido por estas instituições no apoio às crianças e às famílias são-brasenses e dar as boas-vindas, no regresso ao trabalho de tantos profissionais que se dedicam a cuidar das crianças são-brasenses, deixando votos de um bom ano letivo», diz a autarquia.

 

 

A «visita permitiu ainda conhecer as melhorias que têm sido realizadas em ambos os espaços, em prol da criação das melhores condições para o acolhimento dos mais pequenos, bem como tomar conhecimento de algumas necessidades e desafios que se colocam e para os quais se procuram soluções, promovendo o trabalho em rede local e a sinergia».

No momento atual, e em virtude do crescimento demográfico que está a ocorrer em São Brás de Alportel, nomeadamente ao nível de jovens casais, a Câmara Municipal diz estar «atenta à crescente necessidade sentida por muitas famílias que necessitam de unidades de apoio à infância».

Comentários

pub
pub