Começam hoje em Aljezur as ações de formação «Um Elogio à Natureza» sobre a Via Algarviana

Até 10 de Novembro, serão desenvolvidas 70 ações

As ações de capacitação e workshops temáticos inseridos na candidatura “Via Algarviana – Um Elogio à Natureza”, aprovada pelo Fundo Ambiental, começam esta segunda-feira, dia 23 de Setembro, em Aljezur, com uma formação destinada aos técnicos de administração local e regional, sobre Património Cultural.

«Para estas ações sobre Património Cultural na Via Algarviana temos uma parceria com a Direção Regional de Cultura, por isso a formação será dada por Rui Parreira e incluirá visitas ao património do concelho, como o Ribat da Arrifana ou o Castelo», explicou Anabela Santos, da associação Almargem, a entidade que promove este projeto.

Ao todo, até 10 de Novembro, serão desenvolvidas 70 ações, distribuídas pelos cinco municípios de baixa densidade parceiros do projeto: Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Monchique e Vila do Bispo.

«O objetivo primordial das ações de capacitação é dotar os empresários da região, que operem ou que estejam instalados ao longo do território da Via Algarviana, bem como os Técnicos de Turismo, Cultura, Ambiente e Desporto dos Municípios parceiros, das Juntas de Freguesia, dos Postos de Turismo da Região de Turismo do Algarve e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, de informação válida nas diferentes áreas em oferta», acrescentou Anabela Santos.

Mas há ainda «workshops temáticos», que se destinam ao público em geral com interesse nestes temas.

 

A bióloga da associação Almargem acrescenta que, quando se fala nos «empresários da região» atravessada pela Via Algarviana, está a falar-se de empresários ligados aos «restaurantes, animação turística, agências de viagens, unidades de alojamento. Estamos a convidar toda a gente».

Um dado importante é que todas estas ações são gratuitas, têm a duração de 4 horas, e «são sobre temas em que nós achamos que há alguma carência de conhecimentos: Geodiversidade, Biodiversidade, Botânica e Património Cultural».

«Quase todas as formações são in loco, portanto, no lugar, para ajudar quem trabalha aqui a fazer a interpretação do território destes concelhos muitos ligados à Via Algarviana».

Além da educação ambiental e patrimonial para os adultos, o projeto inclui ainda uma importante e original vertente dirigida às escolas dos cinco concelhos de baixa densidade abrangidos: Alcoutim, Castro Marim, Monchique, Vila do Bispo e Aljezur.

«Vamos fazer saídas de campo, em pequenos traços da Via Algarviana, para alunos e professores das escolas desses cinco municípios. Eles depois vão fazer uma pequena exposição, em que vão retratar o que é que viram, o que é que foi a experiência», explicou Anabela Santos.

Mas as exposições das três turmas de cada concelho participantes serão depois mostradas «num município diferente, para que os miúdos percebam as diferenças do território e o que é que os outros alunos sentiram ao fazer uma coisa parecida à deles», adiantou a responsável da Almargem.

«Vamos também lançar um concurso escolar, no qual os miúdos que participam nestas caminhadas vão dar ideias do que é que eles gostavam de ver e de implementar na Via Algarviana nos traços que eles percorreram».

E depois, até final de Novembro, vai ser editado «um guia digital que estamos a elaborar e que se destina aos professores, sobre as atividades que podem fazer na Via Algarviana. A ideia é tentar que os professores comecem a utilizar a Via Algarviana como ferramenta para a escola», disse ainda Anabela Santos.

 

A candidatura “Via Algarviana – Um Elogio à Natureza”, promovida pela Almargem, foi aprovada pelo Fundo Ambiental, incluída no aviso “EducarTE: Educar para o Território”, no âmbito do programa de Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020.

As ações são dinamizadas por técnicos especializados nas diferentes áreas em causa, através de uma parceria alargada que inclui os Municípios de Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Monchique e Vila do Bispo, a Direção Regional de Cultura do Algarve, Associação A Nossa Terra, Centro Ciência Viva de Tavira, e ainda as empresas Birdland, GeoWalks&Talks e Walkin’Sagres, em colaboração com a Associação Almargem, promotora da candidatura.

A última ação inserida neste ciclo de educação ambiental informal acontece no dia 10 de Novembro, também em Aljezur, com um workshop temático na área da geodiversidade, destinado ao público em geral.

Todas as ações decorrem das 9h30 às 13h30 e são gratuitas, mas de inscrição limitada e obrigatória.

A calendarização completa e respetivos formulários de inscrição estão disponíveis no website da Via Algarviana, em www.viaalgarviana.org.

«Este era um passo que nós queríamos dar desde há muitos anos, mas sempre nos tinha faltado a parte financeira, que é muito necessária, e o tempo. Já há muito tempo que gostávamos de tentar fazer estas ações viradas para o tecido empresarial e para os técnicos das entidades oficiais que lidam com a Via Algarviana. E agora, quando saiu este aviso do Fundo Ambiental, vimos que daria para concretizar este projeto», concluiu Anabela Santos, dirigente da associação Almargem, que gere a Via Algarviana.

 

Comentários

pub
pub