Seis motoristas não cumpriram requisição civil em Loulé

Neste momento, os stocks estão a 37% no gasóleo e 35% na gasolina nas bombas REPA do Algarve

João Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética, acaba de admitir que houve «um caso inequívoco de incumprimento da requisição civil» em Loulé. Seis motoristas, que «tinham a obrigação» de transportar combustível para o Aeroporto de Faro, faltaram ao trabalho. 

O anúncio foi feito pelo governante, numa conferência de imprensa de balanço da manhã do terceiro dia de greve dos motoristas de matérias perigosas.

Falando neste caso de incumprimento da requisição civil, que foi decretada na passada segunda-feira pelo Governo, Matos Fernandes garantiu que seis elementos da GNR «estão já a fazer o transporte que será garantido para o Aeroporto de Faro».

Segundo o governante, houve, esta manhã, em Sines, 33 saídas de camiões tanque. É daí, recorde-se, que vem o abastecimento para o Algarve.

Matos Fernandes disse também que os números da Rede de Emergência de Postos de Combustível (REPA) são «mais positivos» no Algarve.

«Subiu em 13 pontos percentuais. Há, neste momento, os stocks estão a 37% no gasóleo e 35% na gasolina», anunciou.

A paralisação não tem fim à vista, mas Matos Fernandes fez um apelo «às duas partes [sindicatos e ANTRAM] para que, depressa, encontrem uma forma de esta greve acabar».

Comentários

pub
pub